Governo quer novo adiamento do Censo Demográfico

O governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) quer propor um novo adiamento do Censo Demográfico, feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), de 2021 para 2022.

A pesquisa, prevista para este ano, já foi adiada em razão da pandemia do novo coronavírus.

LEIA TAMBÉM
Cuba anuncia testes em humanos de sua vacina contra o novo coronavírus

Carla Zambelli é diagnosticada com covid-19 e diz que fará tratamento com hidroxicloroquina

Lava Jato deflagra 72ª fase de olho na política

Segundo o portal de notícias G1, o novo adiamento também ocorreria por dificuldades trazidas pela pandemia, e os cerca de R$ 2,3 bilhões previstos para o censo de 2021 seriam redirecionados para as Forças Armadas.

Os militares têm um grande protagonismo no interior do governo Bolsonaro, ocupando diversos ministérios e a direção de empresas estatais e autarquias federais. Além disso, são atualmente uma base política fundamental de apoio ao projeto bolsonarista de poder.

Sobre o Censo
O Censo Demográfico é feito a cada 10 anos e tem abrangência nacional. Pesquisadores do IBGE visitam os domicílios pelo país com o objetivo de coletar dados sobre os moradores (nível de estudo, trabalho, renda, entre outras informações) que servirão para elaborar políticas públicas.