Trump determina a prisão para quem derrubar estátuas e monumentos

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump autorizou, nesta terça-feira (23), as forças de segurança do governo a prender quem derrubar estátuas e monumentos de propriedade federal. As ações contra os monumentos de personalidades históricas vinculados ao racismo e as classes dominantes nos EUA cresceu após o assassinato de George Floyd em Minneapolis.

A medida foi amunciada depois que manifestantes tentaram remover uma estátua de Andrew Jackson na Praça Lafayette, ao lado da Casa Branca, na noite da última segunda (22), durante uma manifestação contra o racismo.

“Eu autorizei o Governo Federal a prender qualquer um que vandalize ou destrua monumentos, estátuas ou outras propriedades federais nos EUA, com penas de até 10 anos de prisão”, escreveu Trump no Twitter.

Segundo o presidente, a medida pode ser aplicada inclusive de modo retroativo. Nas últimas semanas, os manifestantes que tomaram as ruas do país para protestar contra a violência policial voltaram suas atenções para estátuas de personalidades que simbolizam o racismo e o colonialismo, como Cristóvão Colombo.

LEIA TAMBÉM:

Datena para ser candidato em SP terá que sair da Band até segunda

Feder já dá entrevista como novo ministro da Educação, após encontro com Bolsonaro

Justiça Federal obriga Bolsonaro a usar máscara em espaços públicos do DF

Admirado por Trump, Andrew Jackson presidiu os EUA entre 1829 e 1837 e foi responsável pela deportação de dezenas de milhares de indígenas para áreas remotas do país, em um episódio conhecido como “Caminho das Lágrimas”.

Os serviços de segurança chegaram a mandar jornalistas saírem da Casa Branca durante o protesto de segunda-feira, enquanto a polícia formou um cordão para proteger a estátua de Jackson e usou gás de pimenta contra os manifestantes.

*Com informações da ANSA