Maioria discorda que ‘bandido bom é bandido morto’, diz pesquisa

Publicado em 29 junho, 2020

A Paraná Pesquisa afirma que o mantra segundo qual ‘bandido bom é bandido morto’ pode estar em xeque, pois, de acordo com o instituto, 48,3% discorda da frase.

Embora seja maioria contra, a máxima ‘bandido bom é bandido morto’ tem a aprovação de 43,9% dos entrevistados, e, 7,8% não souberam responder.

.

A Paraná Pesquisas ouviu 2.258 eleitores de 26 estados e o Distrito Federal entre os dias 23 e 26 de junho. A margem de erro é 2% para mais ou para menos.

No mesmo levantamento, 55,9% disseram que não consideram os policiais da Polícia Militar violentos ante 38,1% que consideram eles serem violentos. Não souberam responder, 6%.

LEIA TAMBÉM

  • Auxílio emergencial e indignação seletiva da Globo
  • Congresso Nacional faz homenagem ao Dia do Orgulho LGBTIQA+
  • Balanço do movimento Stop Bolsonaro Mundial; assista
  • Anne Hidalgo, socialista, é reeleita prefeita de Paris com cerca de 50% dos votos
  • Maioria dos brasileiros quer Bolsonaro fora da presidência

    .

    Uma pesquisa do DataPoder360 aponta que 52% dos brasileiros querem que Bolsonaro deixe o cargo de presidente. O percentual aumentou em 4 pontos desde o último levantamento, publicado em 12 de junho.

    A apoio para que Bolsonaro mantenha-se no Planalto é de 38%, o que representa uma queda de 5 pontos percentuais em apenas duas semanas. Outros 10% não souberam responder.

    Entre aqueles que avaliam seu trabalho como bom ou ótimo, 84% querem mantê-lo no chefia do Executivo. Apenas 4% dos que consideram ruim ou péssimo falam que Bolsonaro deve terminar seu mandato.

    .

    Já entre os que pedem a saída, quase 9 em cada 10 entrevistados desejam o afastamento. Entre os que avaliam o governo como ótimo ou bom, 9% afirmam que Bolsonaro não deve mais estar no cargo.

    Esse é 1º levantamento do DataPoder360 depois da prisão de Fabrício Queiroz na semana passada no caso das “rachadinhas”; no gabinete do filho Flávio Bolsonaro, hoje senador pelo Republicanos, na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro.

    A pesquisa foi realizada de 22 a 24 de junho, por meio de ligações para celulares e telefones fixos. Foram 2.500 entrevistas em 549 municípios nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 2 pontos percentuais e o nível de confiança é de 95%.

    .

    Com informações do Poder 360.