Secretário de Polícia Civil do Rio pede demissão

O secretário de Estado de Polícia Civil (Sepol), o delegado Marcus Vinicius de Almeida Braga, pediu a exoneração do cargo, após um ano e cinco meses. A saída de Braga ocorre dias depois de o governador ser alvo de uma operação da Polícia Federal contra fraudes da área de Saúde.

Ele agradeceu ao governador Wilson Witzel pelo tempo à frente da pasta, o que proporcionou uma reestruturação interna e permitiu aproximação de órgãos como Ministério Público, Polícia Militar e Seap. Esta é mais uma baixa no governo estadual, após a exoneração dos secretários da Casa Civil e da Fazenda na última quinta-feira.

“Agradeço muito ao governador pela confiança. Nesses quase dois anos de governo ele fez muito pela Polícia Civil. Nos deu autonomia e com isso criamos o Departamento Geral de Combate à Corrupção, ao Crime Organizado e à Lavagem de Dinheiro (DGCOR-LD) que possibilitou a prisão de dezenas de criminosos e a apreensão de milhões de reais do crime organizado”, destacou.

LEIA TAMBÉM:

O direito como afirmação do poder da classe dominante, segundo Haddad

Requião defende ‘lockdown’ para todo o País; assista

Caixa começa a pagar 2ª parcela do auxílio emergencial neste sábado

O delegado disse que a decisão veio a partir da vontade de dedicar mais tempo à família. “Já vínhamos nessa batalha desde a intervenção (da Segurança Pública) quando assumimos a chefia da Polícia Civil. Foram três anos nessa batalha, acordando às 5h, e chega uma hora que o corpo cansa. Já estou com mais de 50 anos”, afirmou Braga. — Quero descansar e ficar mais com a minha família.

A exoneração do delegado da pasta sairá na edição do Diário Oficial na próxima segunda-feira, 1º de junho, com os dizeres “a pedido”.

O Palácio Guanabara ainda não informou quem irá assumir o cargo

Fonte: O Globo