PGR pede ao STJ investigação de governadores do RJ, PA e AM por compras emergenciais

Publicado em 20 maio, 2020

A Procuradoria-Geral da República pediu investigação ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) contra os governadores do Rio de Janeiro, Wilson Wtizel (PSC), do Pará, Helder Barbalho (MDB), e do Amazonas, Wilson Lima (PSC), por suspeitas de irregularidades em contratações emergenciais realizadas pelos Estados durante a pandemia do novo coronavírus, informou à Reuters uma fonte com conhecimento do assunto nesta quarta-feira.

Os pedidos de investigação foram remetidos sob sigilo ao STJ, corte na qual os governadores têm foro privilegiado para investigações criminais.

LEIA TAMBÉM:
Véio da Havan inclui alimentos nas lojas para tentar reabrir como atividade essencial

‘Quem é de esquerda toma… Tubaína’, diz Bolsonaro, ao defender cloroquina para a direita

Coronavírus: Brasil chega a 17.971 mortes e ultrapassa 270 mil casos em 19/05

Essas apurações foram requeridas pela subprocuradora-geral da República Lindora Araújo, indicada pelo procurador-geral da República, Augusto Aras, para ser responsável por cuidar de casos penais no STJ.

Witzel disse à Reuters que a ação da PGR parece ter sido articulada e negou quaisquer irregularidades.

“Já tinha dito que ia me antecipar ao STJ”, disse Witzel à Reuters. “(A ação da PGR) aparenta uma ação articulada com suposições rasas e aparelhamento das instituições”, disparou.

Nas últimas semanas três operações policiais tiveram como alvos contratos da área da saúde fluminense e ao menos 20 pessoas foram presas. Nesta semana, Edmar Santos deixou o cargo de secretário de Saúde do Estado.

Procurados, os governos do Amazonas e do Pará não responderam imediatamente a pedidos de comentários.

Por Agência Reuters