Flávio Bolsonaro tenta mais um vez parar a investigação das “rachadinhas”

Publicado em 5 março, 2020

O senador Flávio Bolsonaro (sem partido) entrou com um habeas corpus no Tribunal de Justiça do Rio para tentar, mais uma vez, paralisar as investigações sobre suspeita de “rachadinha” no gabinete dele quando era deputado estadual.

A defesa do parlamentar alega que os fatos são relativos ao tempo em que ele estava na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) e, por isso, deveriam ser analisados em segunda instância.

Flávio é suspeito de integrar um esquema de ‘rachadinha’, que seria a apropriação pelo parlamentar de parte do salário de seus assessores.

LEIA TAMBÉM
“Se Dilma sair, PIB dobra”, era o conto do vigário há 4 anos

Congresso mantém veto ao orçamento impositivo em troca de R$ 20 bi de emendas parlamentares

Associação Brasileira de Imprensa exige compostura de Bolsonaro

O ex-assessor parlamentar Fabrício Queiroz teria recebido R$ 2 milhões repassados por assessores de Flávio, e parte do dinheiro desviado teria sido lavado na loja de chocolates do então deputado.

As investigações avançaram após a quebra de sigilo bancário e fiscal das contas da Bolsotini, de Flávio e de sua esposa, Fernanda Bolsonaro.

A decisão judicial atingiu também duas filhas de Queiroz, Nathalia e Evelyn, a ex-esposa do assessor parlamentar e outros 88 ex-funcionários do gabinete de Flávio, incluindo a irmã e mãe do ex-capitão do Bope Adriano da Nóbrega, miliciano morto no mês passado em operação policial na Bahia.

Agora, os advogados de Flávio Bolsonaro querem a anulação da quebra dos sigilos bancário e fiscal do parlamentar. Seria a nona(!) vez que Flávio tenta parar as investigações.

Com informações do G1 e GGN.