Racha no PSL vira briga de rua e interfere no julgamento da 2ª instância

Publicado em 17 outubro, 2019
Compartilhe agora!

Pegou fogo no cabaré!

O racha no PSL virou briga de rua, depois que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) se envolveu pessoalmente no desforço partidário.

Bolsonaro atirou primeiro ao dizer que o presidente nacional do PSL, Luciano Bivar (PE), estava queimado e pediu para que um fã abandonasse a ideia de se filiar no partido.

A guerra intestina, que evoluiu para racha, tem como pano de fundo R$ 352 milhões em fundos eleitoral e partidário. Como tempero, a intervenção da Polícia Federal na disputa política.

Nas últimas horas houve até tentativa de golpe na liderança do partido na Câmara. O filho do presidente, Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), apresentou assinaturas para destituir o atual [delegado Waldir] que ainda carecem ser confirmadas.

LEIA TAMBÉM
Bivar tira deputada Bia Kicis da presidência do PSL em Brasília

Marco Aurélio nega mal-estar: “É boato”

#STFOPovoQuerLulaLivre no topo do Twitter nesta quinta-feira

Pode bater na trave o golpe.

Bolsonaro foi gravado por deputados do PSL. Os áudios vazaram. A crise aumento. O PSL pode implodir a qualquer momento.

O fato é que esse racha do PSL, que já virou briga de rua, pode interferir até no julgamento das ADCs (ações declaratórias de constitucionalidade) no Supremo Tribunal Federal (STF). A conta é simples: Bolsonaro é a insegurança jurídica que põe em risco todos, de operários a burgueses.

O Blog do Esmael vai transmitir ao vivo a sessão do STF a partir das 14h. Acompanhe.

Compartilhe agora!