Dirigente do PSL mineiro reforça a acusação de caixa 2 contra ministro do Turismo

Publicado em 8 outubro, 2019
Compartilhe agora!

Ivanete Maria da Silva Nogueira, vice-presidente do PSL em Conselheiro Lafaiete (MG), afirmou que serviços da campanha de Marcelo Álvaro Antonio foram pagos em dinheiro vivo e sem recibo.

Marcelo era o presidente estadual do PSL, se elegeu deputado federal e hoje é o ministro do Turismo de Bolsonaro.

LEIA TAMBÉM
Presidente do PSL defende fim das cotas de mulheres para evitar “rolo”

PF pode abrir nova investigação sobre laranjal do PSL

Moro ‘absolve’ Bolsonaro pelo caixa 2 do laranjal do PSL

PF indicia ministro do Turismo por esquema de candidaturas laranja do PSL

A lei eleitoral proíbe pagamentos em dinheiro vivo durante a campanha eleitoral. A prática configura caixa 2. Segundo o depoimento, os gastos foram de mais de R$ 17 mil.

“No dia 5 de outubro de 2018 [dois dias antes da eleição], Jandir entregou à declarante a quantia de R$ 17 mil em dinheiro […] A quantia estava guardada em uma caixa branca da marca Lacoste”, afirmou Ivanete em depoimento publicado pela Folha de São Paulo.

Jandir Vieira Siqueira era assessor de Marcelo e é membro do diretório estadual do PSL.

Ainda segundo Ivanete, ela entrou em contato com Jandir, após as eleições, “para entregar os recibos do pessoal que havia trabalhado na campanha de Marcelo, mas Jandir disse que não precisava e que estava tudo ok. […] Depois disso, Jandir não atendeu mais as ligações”.

O laranjal vai sendo desbaratado. E agora: Marcelo continua ministro? Bolsonaro também foi beneficiado do esquema?

Com informações da Folha de São Paulo

Compartilhe agora!