Ministro da falta de Educação quer o fim dos concursos para professores universitários

Compartilhe agora

O ministro da falta de Educação dos Bolsonaro, Abraham Weintraub, quer que as universidades passem a contratar os professores pelo regime da CLT, sem concursos públicos.

Na verdade, a proposta é terceirizar a mão de obra de técnicos administrativos e docentes, que deverão ser contratados por Organizações Sociais.

LEIA TAMBÉM
Festival de Ciência, Cultura e Inovação da UFPR começa nesta segunda

Witzel é o nome da morte na geografia da pobreza, diz Milton Alves

Juízes debatem na UFPR excessos da Lava Jato e a perseguição a Lula

Essa é uma das exigências para adesão ao programa Future-se, de privatização da universidades. A ideia é desobrigar o governo de custear as instituições.

Com o fim dos concursos, acaba também a estabilidade dos professores, acaba igualdade de condições para quem pleitear as vagas, e os docentes ficariam sujeitos às exigências políticas do governo.

Por essas e outras, a União Nacional de Estudantes está convocando mais uma série de protestos e mobilizações para os dias 2 e 3 de outubro. Serão as #48hPelaEducação.

Com informações do Estadão