Por Esmael Morais

Veja essa: Policiais federais se “unem” a Lula contra a reforma da previdência

Publicado em 26/06/2019

Policiais federais se uniram tacitamente ao ex-presidente Lula, em Curitiba, contra a reforma da previdência. Eles realizarão nesta quinta-feira (27) uma manifestação em frente à Superintendência Regional da Polícia Federal no Paraná, sede dos trabalhos da operação Lava Jato.

No último dia 29 de abril, em entrevista ao El País e à Folha, Lula disse que a reforma da previdência vai sacrificar ainda mais os pobres e manter os privilégios. Ele explicou como arrecadar sem tirar dinheiro de quem não tem quase nada.

Os federais criticam o texto da PEC 06/19 e reivindicam mudanças que contemplem uma regra de transição justa, integralidade e paridade, idade diferenciada para homens e mulheres, diminuição da alíquota previdenciária e melhoria no regime de pensões. O ato está marcado para às 11h e deve reunir representantes de todos os cargos.

LEIA TAMBÉM
Eduardo Bolsonaro previu: “aviões do governo fazendo tráfico”; assista

Segundo a presidente do Sindicato dos Policiais Federais do Paraná (Sinpef/PR), Bibiana Orsi, é “absolutamente incoerente que as reformas que o governo julga necessárias passem por cima de direitos e prerrogativas constitucionais de setores essenciais para a superação dos principais problemas que atingem o Brasil, como a violência e a corrupção”.

A líder sindical chama atenção, também, para a diferenciação militares e profissionais civis. “É inaceitável. O papel das forças militares, sobretudo em momentos de crise, é de suma importância. Mas não há como negar que são os policiais militares, civis, federais, rodoviários federais, agentes penitenciários e guardas municipais que lidam diariamente com a violência, o medo, a desvalorização e até mesmo com as restrições à liberdade e à segurança, que também são estendidas à sua família”, frisou.

A Central Única dos Trabalhadores (CUT) estuda formalizar convite para que os policiais federais engrossem o movimento do próximo dia 12 de julho contra a reforma da previdência, qual seja, a luta contra o fim da aposentadoria une tacitamente militantes do movimento Lula Livre e do PT. É a vida como ela é, como diria o dramaturgo Nelson Rodrigues.