Por Esmael Morais

Jornalista lança livro neste sábado sobre resistência do teatro de bonecos à ditadura militar

Publicado em 05/04/2019

A jornalista Dinah Ribas Pinheiro lança neste sábado (6), em Curitiba, livro contando a resistência do grupo Dadá — de teatro de bonecos — à ditadura militar. O evento será das 10h às 14h no Pequeno Auditório do Museu Oscar Niemeyer (MON).

O livro escrito por Dinah Ribas Pinheiro narra o itinerário de um dos mais importantes grupos de teatro de bonecos do Paraná.

LEIA TAMBÉM
Exército de robôs sustenta a popularidade de Bolsonaro no Twitter

A obra foi construída no formato de abecedário e com uma linha do tempo cronológica. Ela revela todos os assuntos relacionados à história do grupo Dadá, como a luta política, o exílio e, claro, seus trabalhos com teatro de boneco.

A entrada é franca e contará com sessão de autógrafos da escritora. O livro será vendido no local.

O Teatro de Bonecos Dadá atuou durante 50 anos ininterruptos (de 1964 a 2014), realizando mais de 100 montagens.

Fundado na década de 60 por Euclides Coelho de Souza, Adair Chevonika e Mirian Galarda, o grupo foi um dos precursores do gênero de Teatro de Bonecos em Curitiba.

Caracterizado por forte luta política, o grupo foi exilado no Peru e Chile, nos anos 70, em virtude da ditadura militar. Em suas montagens sempre priorizaram autores democratas e libertários. Dentre suas principais peças, destacam-se: Chapeuzinho Vermelho, em uma versão revisitada e não maniqueísta; O Sonho do Pongo, de José Maria Arguedas; A Nuvem Apaixonada, baseada em um conto de Nazin Hikmet; O Burrinho Vermelho, de Jean-Loup Temporal e Dadá Vence o Diabo, de Germán List Arzubide.

Para a escrita do livro, Dinah Ribas Pinheiro se utilizou de folhetos, documentos, recortes de jornais, certidões, convites, programas de espetáculos e, sobretudo, de horas de conversas e entrevistas com Euclides Coelho de Souza, um dos fundadores do grupo.

Por meio de verbetes, pode-se acompanhar a trajetória do grupo em suas peças, seus parceiros, suas lutas pela construção de políticas públicas de cultura, suas criações, que conversavam com a arte e a educação, bem como todos os embates políticos que viveram.

A construção do livro começa a se dar em 2015, quando, a pedido de Euclides, Dinah começa uma larga pesquisa sobre o grupo, com o qual teve seu primeiro contato em 1974.

TEATRO DE BONECOS DADÁ – UMA TRAJETÓRIA NA POLÍTICA E NA ARTE revela um panorama inédito do grupo destrinchando suas facetas, criações e proposições em meio século de história relacionada à arte das marionetes. Um documento importante e preciso para, através da história, revelar os tempos atuais.

SOBRE DINAH RIBAS PINHEIRO

Dinah Ribas Pinheiro é carioca, passou a infância e a adolescência em Urussanga, Santa Catarina, e vive em Curitiba desde 1969. Formada em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná, na turma de 1972, trabalhou nos jornais Diário do Paraná e Correio de Notícias, nas revistas Panorama e Quem. Foi assessora de Comunicação da Fundação Cultural de Curitiba, da Escola do Teatro Bolshoi e do BRDE -Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul. É personagem do livro Jornalismo Cultural – Um Resgate – junto com as jornalistas Adélia Maria Lopes, Marilú Silveira e Rosirene Gemael, autoria de Selma Sueli Teixeira, publicado em 2007. Em 2012 lançou A Viagem de Efigênia Rolim nas Asas do Peixe Voador, sobre a artista popular e contadora de históras Efigênia Rolim.

SERVIÇO
Lançamento do livro TEATRO DE BONECOS DADÁ – UMA TRAJETÓRIA NA POLÍTICA E NA ARTE, de Dinah Ribas Pinheiro

Dia 6 de abril de 2019
das 10h às 14h
Pequeno Auditório do MON
(R. Mal. Hermes, 999 – Centro Cívico – telefone: 3350-4400)
Entrada Franca, mediante retirada de convite na bilheteria do MON

*Os livros estarão a venda no dia do lançamento