Bolsonaro vai criar mendigos entre idosos com reforma da previdência

Publicado em 25 março, 2019
Compartilhe agora!

A presença de idosos entre mendigos nas ruas do Brasil é coisa rara, mas o presidente Jair Bolsonaro (PSL) quer com a reforma da previdência criar essa nova categoria de pedintes e miseráveis.

A política pública de proteção à terceira idade, prevista na Constituição e no Estatuto do Idoso, tutela a velhice dos abutres do mercado. No entanto, o fim da previdência social visa vulnerabilizar a ancianidade.

Aposentados, pensionistas (viúvos), trabalhador rural e beneficiários continuados da seguridade social seriam os mais atingidos pela proposta de Bolsonaro, qual seja, perderiam um salário mínimo que lhes garante a velhice um pouco mais digna.

LEIA TAMBÉM
Gleisi: Bolsonaro sendo Bolsonaro e o país à deriva

Pela reforma da previdência de Bolsonaro, a aposentadoria só seria possível se cidadão contribuísse por conta e risco (sistema de capitalização), sem a contrapartida da empresa e do governo, por 40 anos seguidos ou pela idade mínima de 65 anos.

O diabo é que na seguridade (pensões e benefícios, a exemplo do auxílio-doença), o idoso urbano e rural poderá receber menos que um salário mínimo.

Sem condições de prover sua família e a si próprio, muito provavelmente, esses idosos irão para as ruas em busca de seu sustento por meio de mendicância.

Note o caríssimo leitor que a maioria dos idosos é arrimo de família, isto é, responsável pelo sustento do núcleo familiar Brasil afora.

Triste o país que não cuida de seus velhos.

Compartilhe agora!