Flávio Bolsonaro publica nota sobre a decisão do STF no escândalo Queiroz

Flávio Bolsonaro resolveu publicar uma nota depois do estrago causado pela suspensão das investigações do escândalo Queiroz, determinada pelo ministro Luiz Fux do STF.

O estrago foi forte. Até o MBL e aliados como a deputada eleita Janaína Paschoal (PSL) ficaram indignados com o pedido de suspensão das investigações.

LEIA TAMBÉM: Flávio Bolsonaro pediu para STF anular as provas do escândalo Queiroz

Tudo isso ainda se valendo do foro privilegiado que o próprio Flávio e seu pai, o presidente Bolsonaro, tiveram o oportunismo e a hipocrisia de criticar.

Leia abaixo a mensagem publicada no Instagram do Bolsonaro Kid:

“A assessoria de Flávio Bolsonaro informa que sua defesa ajuizou Reclamação no Supremo Tribunal Federal em face do MP/RJ tendo em vista que, ao ter acesso aos autos do procedimento, verificou ser o Senador objeto de investigação, o que atrai a competência ao Supremo Tribunal Federal — única autoridade competente para decidir sobre o foro adequado à continuidade das investigações em curso relativamente a ele.”

Ademais, a defesa apontou, na Reclamação, nulidades diversas, como a quebra dos sigilos bancário e fiscal do Senador, para fins de investigação criminal, sem autorização judicial.

Todos os requerimentos feitos limitaram-se à pessoa do Sr. Flávio Bolsonaro e aos procedimentos ilegais que foram tomados em relação a ele pelo MP/RJ, não implicando solicitação relativamente a nenhum terceiro.”

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Vamos começar a restabelecer a verdade: “A assessoria de Flávio Bolsonaro informa que sua defesa ajuizou Reclamação no Supremo Tribunal Federal em face do MP/RJ tendo em vista que, ao ter acesso aos autos do procedimento, verificou ser o Senador objeto de investigação, o que atrai a competência ao Supremo Tribunal Federal — única autoridade competente para decidir sobre o foro adequado à continuidade das investigações em curso relativamente a ele. Ademais, a defesa apontou, na Reclamação, nulidades diversas, como a quebra dos sigilos bancário e fiscal do Senador, para fins de investigação criminal, sem autorização judicial. Todos os requerimentos feitos limitaram-se à pessoa do Sr. Flávio Bolsonaro e aos procedimentos ilegais que foram tomados em relação a ele pelo MP/RJ, não implicando solicitação relativamente a nenhum terceiro.”

Uma publicação compartilhada por Flávio Bolsonaro (@flaviobolsonaro) em

Comentários encerrados.