Onyx vai ter que se retirar do governo caso sejam comprovadas ‘ilicitudes’, diz Mourão


O general Hamilton Mourão (PRTB), vice-presidente eleito, afirmou nesta terça-feira (5), em Belo Horizonte, que, se encontradas irregularidades na investigação aberta contra o futuro ministro da Casa Civil de Jair Bolsonaro (PSL), Onyx Lorenzoni (DEM-RS), terá que deixar o governo, informa o jornal O Estado de São Paulo. “Uma vez que seja comprovado que houve ilicitude, é óbvio que terá que se retirar do governo. Mas, por enquanto, é uma investigação”, disse Mourão.

Na terça-feira, o ministro do Supremo Tribunal Federal Edson Fachin atendeu a pedido feito pela Procuradoria-Geral da República (PGR) e determinou a abertura de investigação para analisar as acusações de caixa 2 feitas por delatores da J&F ao futuro ministro,

Mourão afirmou ainda que ao menos parte da articulação política do governo poderá ficar sob o comando de militares. O vice de Bolsonaro disse que ele mesmo poderá participar, assim como o futuro secretário de Governo, general Carlos Alberto dos Santos Cruz.

De acordo com o depoimento de delatores da J&F, Onyx teria sido favorecido com o pagamento de propinas, via caixa 2, de R$ 100 mil em 2012 e R$ 200 mil em 2014.

Comentários encerrados.