Novo edital do Mais Médicos mostra acerto da política sanitária de Dilma Rousseff

O novo edital do programa Mais Médicos publicado hoje (20) no Diário Oficial da União comprova a importância dos médicos cubanos para o Brasil e, acima de tudo, o acerto da política sanitária criada pela ex-presidenta Dilma Rousseff (PT).

O programa foi lançado em 8 de julho de 2013 no primeiro governo da presidenta que sofreu o golpe em 2016.

Estão sendo ofertadas 8.517 vagas em 2.824 municípios e 34 áreas indígenas, antes ocupadas por médicos cubanos.

Ou seja, os profissionais de Cuba estão em mais da metade dos municípios brasileiros.

LEIA TAMBÉM: Prefeitos estão irados com Bolsonaro pela mancada do “menos médicos”

Os profissionais selecionados receberão salário de R$ 11.865,60 por 36 meses, com possibilidade de prorrogação. As atividades dos médicos incluem oito horas acadêmicas teóricas e 32 em unidades básicas de saúde.

Inicialmente, estão abertas vagas para os médicos brasileiros com inscrição no Conselho Regional de Medicina (CRM) ou com diploma revalidado no país.

Os profissionais podem se inscrever no site maismedicos.gov.br.

A íntegra do edital está no Diário Oficial da União.

A previsão é de que um grupo comece a trabalhar no próximo dia 3 de dezembro.

Segundo o ministério da Saúde, no próximo dia 27 haverá a abertura de nova chamada para os médicos brasileiros formados no exterior e estrangeiros.

Com informações da Agência Brasil.

Comentários encerrados.