General Mourão declara guerra a professores e prega pensamento único na escola

Publicado em 5 novembro, 2018
Compartilhe agora!

Pregar o ódio em nome de Deus, pode. O que não poderá desde já — no governo Jair Bolsonaro (PSL) — é professor pensando em sala de aula.

LEIA TAMBÉM
Grupo Havan abre “embaixada” em Brasília; Daciolo diz que é coisa do demônio

O vice-presidente da República eleito, general Hamilton Mourão (PRTB), declara guerra a professores e prega pensamento único na escola.

O militar ataca a “formação marxista” dos educadores e defende a revisão bibliográfica nas escolas, sobretudo nas disciplinas de história e geografia.

Segundo o Valor, general Mourão critica a forma como a ditadura militar tem sido estudada e afirma que atual escola distorce a realidade ao não retratar o período como uma “guerra à ditadura do proletariado”.

“O vice colocou em xeque o método de ensino do educador Paulo Freire e disse que a “pedagogia do oprimido” não tem demonstrado avanços educacionais”, registra o jornal.

Bolsonaro diz que “o melhor” ainda está por vir…

Compartilhe agora!