Governo da Argentina senta no colo do FMI

O governo de Mauricio Macri, na Argentina, depois de elevar a taxa de juros a 40%, anunciou que recorrerá ao Fundo Monetário Internacional (FMI) para obter empréstimo de US$ 30 bilhões e conter as especulações contra a moeda local, o peso, que corroem os salários.

O jornalista e economista J. Carlos de Assis, adiantou em sua coluna no Blog do Esmael que “a corrida continuará até que, esvaziados os cofres de dólares, a Argentina caia numa moratória sem planejamento e sem uma trajetória clara para o futuro.”

Macri faz uma aposta no país vizinho muito parecida com a de Michel Temer, no Brasil, que consiste na redução de direitos sociais dos trabalhadores, privatizações e na ampliação de benefícios para o capital financeiro especulativo — em detrimento da produção nacional.

O diabo é que a Rede Globo, fiadora do modelo neoliberal no Brasil, esconde que a Argentina voltará a sentar no colo do FMI.