Cai da Copel o ex-chefe de gabinete de Beto Richa

Publicado em 11 maio, 2018
Compartilhe agora!

A governadora do Paraná Cida Borghetti (PP) anunciou a demissão do diretor de Gestão Empresarial da Copel, Deonilson Roldo, ex-chefe de gabinete do ex-governador Beto Richa (PSDB), em virtude de áudios divulgados pela revista IstoÉ. Na gravação, o braço direito de Richa advoga interesses da Odebrecht e de empreiteiras no governo e na Copel.

LEIA TAMBÉM
Engenheiros cobram demissão de diretor da Copel envolvido com Odebrecht

Ainda segundo a reportagem da IstoÉ, Roldo negociou nessa época uma propina de R$ 2,5 milhões da Odebrecht para a campanha de reeleição de Beto Richa. A investigação da acusação caiu na 13ª Vara Federal do juiz Sérgio Moro, a lava jato, a partir de delação de executivo da empreiteira que venceu a licitação para a duplicação

LEIA TAMBÉM
Requião pede cadeia para Richa

A decisão da governadora, além de proteger-se, também tenta blindar o antecessor que renunciou ao cargo para disputar o Senado. A linha de defesa tucano consiste em negar envolvimento na maracutaia, caso ele tenha ocorrido, e que o ex-chefe de gabinete atuou por conta própria.

LEIA TAMBÉM
Sérgio Moro tem áudios de propina da Odebrecht para Beto Richa

“A ele é assegurado o direito de ampla defesa junto às esferas administrativas da empresa”, disse Cida Borghetti por meio de nota oficial.

Sobre o cargo na Copel
O salário estimado para um diretor da Copel, maior empresa do Paraná, é de aproximadamente R$ 130 mil por mês.

O agora ex-diretor da Copel ainda acumula participação em conselhos de estatais e órgãos no governo do estado. No mais rentável, o Conselho Estadual de Trânsito, Deonilson Roldo representa o município de Londrina em troca de jeton mensal de R$ 10 mil.

Compartilhe agora!