Paulo Rossi: Cadê o emprego, Temer?

O presidente da UGT-Paraná, Paulo Rossi, desmente Michel Temer e a velha mídia acerca da reforma trabalhista de que geraria milhares de novos empregos. Segundo ele, citando dados oficiais do CAGED (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), foram exatos 12.292 postos a menos de trabalho no mês de novembro de 2017.

Mais de 12 mil vagas de empregos a menos. Cadê o emprego, Temer?

Paulo Rossi*

O Ministério do Trabalho divulgou nesta quarta-feira (27/12), os dados do CAGED (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), e o resultado foi que a nova legislação trabalhista, tão propagada pelo (des)governo Temer e pelo empresariado, capitaneado pela Fiesp – Federação das Indústrias de São Paulo, não surtiu o efeito desejado: Foram exatos 12.292 postos a menos de trabalho no mês de novembro/17.

Esse resultado somente não foi pior tendo em vista que o setor do comércio – em virtude do natal, contratou mais do que demitiu. Mas o que nos preocupa é que a agricultura, a indústria de transformação e a construção civil foram as campeãs no quesito demissão, em especial na região sul e sudeste, ou seja, onde se encontram os estados mais ricos do Brasil.

Infelizmente, esses dados divulgados pelo próprio governo, desmentem o que foi amplamente repetido na velha mídia: Que a reforma trabalhista iria gerar milhões de empregos. Uma falácia!

A nova legislação trabalhista, aprovada pelo Congresso Nacional, simplesmente retirou direitos dos menos favorecidos e criou formas escravagistas de trabalho em pleno século XXI, dentre as quais o trabalho intermitente, cujo trabalhador que se submete a isso (ficar em casa aguardando o patrão chamá-lo para prestar serviços), ganha cerca menos de 1 quinto do salário mínimo nacional.

Talvez isso explica os baixos índices de aprovação do ilegítimo Michel Temer e do atual parlamento, ambos a serviço do mercado internacional, sem se importar minimamente com o ser humano.

Diante dos fatos, fica a nossa pergunta: Cadê os empregos, Temer?

*Paulo Rossi é presidente da UGT (União Geral dos Trabalhadores), Seção Paraná.

13 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Recomendo a todos lerem e intenderem os 10 pilares do comunismo e socialismo escrito por Lenin e Marx , lá fala que para se lançarem no poder é jogar um contro o outro, o branco contra o preto, o sem estudo contra o estudado, o trabalhador contra o empresário.

    Lá esta escrito…. Divida para conquistar, se seu exercito for pequeno, coloque os próprios irmãos em guerra.

    Por que o comunismo e socialismo nunca cresceu nos EUA ? porque quando se sentem ameaçado, todos 300 milhões de americanos pegam em armas e apontam tudo para o mesmo lado, eles esquecem todas diferenças.

  2. Paulo Rossi, o Sr já teve uma carteira de trabalho ? Ou fica em cima de um toco fazendo demagogia igual os comunistas ? ( tipo fidel castro )

  3. Primeiro vão pegar Lula, daí vão atacar Bolsonaro. Para colocar o candidato deles.

  4. Emprego e inflação em queda só na TV BOBO. É como fazer o brasileiro se esbofetear na cara. Terceirização e trabalho escravo.

  5. Pingback: Demissões derrubam ministro do trabalho - Sindicato dos Bancários de Ponte Nova

  6. Pergunta para o Lula e para a quadrilha do PT que eles sabem.

  7. Pingback: Paulo Rossi: Cadê o emprego, Temer? | BRASIL S.A

  8. Pingback: Demissões derrubam ministro do Trabalho | Poliarquia >

  9. Pingback: Blog do Esmael

  10. Pingback: Blog do Esmael

  11. Prezado Pedro, concordo em partes contigo, até porque não podemos aceitar um gasto milionário desses, mas ninguém fala dos prédios nababescos do FIEP e da FECOMÉRCIO, construidos às custas do dinheiro obrigatório do sistema S. Chegou a hora de acabar com essa mamata também.

  12. Numa época de precarização do emprego e do salário, o papel do sindicalista se torna imprescindível na mobilização dos trabalhadores. Sem organização, a classe trabalhadora será esmagada.

  13. Talvez esteja no prédio de 36 milhões de reais construído com dinheiro do trabalhador, inaugurado pelo sindicato dos metalúrgicos em são josé dos pinhas.
    Tudo regado a champagne Chandon, belas modelos, empresários e políticos carimbados de esquerda e direita.
    E os otários trabalhando em turno duplo para sustentar sindicalista…