Paraná tem 25 campi universitários ocupados contra Richa e Temer, afirmam estudantes

richa_universidadesO governador Beto Richa (PSDB) não conseguiu resolver ainda a questão da desocupação das escolas no Paraná. Ao todo, são 25 campi ocupados entre universidades estaduais, federais e escolas técnicas que pertencem à União.

As ocupações são contra a PEC 55 (antiga 241), que congela pelo prazo de 20 anos investimentos na educação, e contra os estrangulamentos nos investimentos nas estaduais pelo governador tucano.

Só as universidades estaduais têm 100 mil estudantes e 8 mil professores no Paraná.

Por outro lado, no sistema federal, a comunidade escolar da Universidade Federal do Paraná é composta por 33 mil pessoas (professores, estudantes e servidores). E todas as unidades do Instituto Federal do Paraná somam 26 mil estudantes.

A UENP (Universidade Estadual do Norte do Paraná), a maior da região Norte, está ocupada desde 31 de outubro e os estudantes apresentam uma lista de reivindicações: transparência sobre as relações orçamentárias da universidade; melhorias e ampliação da Permanência Universitária, tal qual Moradia Estudantil (casa do estudante); Restaurante Universitário; Biblioteca Universitária; Cotas Raciais e Sócio-Econômicas e a Saída do Meta 4; além de exigir a retirada da pauta a PEC 55 (241) e a MP 746 pelo governo federal.

“Sabe a Unespar? FAP, EMBAP e campus pelo interior do estado? Ela pode fechar, sem recursos para custeio. Tem ordem de despejo para alguns prédios e os professores estão com o salário atrasado. Beto Richa desconversa”, denuncia em vídeo uma estudante com o rosto coberto para não sofrer perseguições. Abaixo, assista ao vídeo.

Há também paralisações na tradicional UFPR e nos institutos federais (IFPR’s) — a exemplo do campus de Colombo, na região metropolitana de Curitiba — contra a PEC 55 e o desmonte da educação pública.

Em todo o país, segundo a UNE, são mais de 230 universidades ocupadas.

Comentários encerrados.