Operação Boca de Urna: Ministro da Justiça insinua prisão de Palocci em evento do PSDB

palocci_moraes_gleisiO ministro da Justiça Alexandre Moraes disse em evento de candidato a prefeito do PSDB, no município de Ribeirão Preto (SP), neste domingo (25), que a Lava Jato voltará com carga total às vésperas das eleições municipais.

Na prática, o ministro da Justiça insinuou que o próximo a ser preso é o ex-ministro da Fazendo Antonio Palocci, que tem base política na cidade.

“Teve a semana passada e esta semana vai ter mais, podem ficar tranquilos. Quando vocês virem esta semana, vão se lembrar de mim”, afirmou o ministro, denunciando o caráter eleitoral da operação do juiz Sérgio Moro.

Para a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) a questão é muito grave, pois, “o ministro da Justiça ainda divulga a operação policial, que deveria ser sigilosa, em palanque eleitoral do PSDB”.

“Ministro da Justiça sabe agora com antecedência as operações da PF na Lava Jato? Pode isso? Cadê a autonomia da PF? Só funcionou com Dilma e Lula“, protestou a parlamentar.

O deputado Paulo Pimenta (PT-RS) vê descarada “seletividade criminosa” da Lava Jato. Segundo ele, os “golpistas usam PF para fazer boca de urna contra o PT”.

Na semana passada, Moro determinou a prisão do também ex-ministro da Fazenda Guido Mantega dentro de um hospital em São Paulo. Ele acompanhava a mulher numa cirurgia de câncer. Como a desumanidade da ação repercutiu muito mal, o magistrado revogou a restrição da liberdade poucas horas depois — o que comprovou o desnecessário show midiático do juiz.

Comentários encerrados.