Protestos contra o golpe de Temer voltam sacudir o país nesta sexta 13

protestos_brasil

Fotos: divulgação/MÍDIA NINJA.

O governo ilegítimo de Michel Temer (PMDB) voltou a ser alvo de protestos nesta sexta-feira 13 em vários pontos do país. O primeiro registrado foi em Curitiba, a capital da Lava Jato, onde artistas ocuparam a sede do Iphan contra a extinção do Ministério da Cultura. Também houve manifestações em Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre, dentre outras cidades.

No Rio, sob a batuta da Frente Povo Sem Medo, de Guilherme Boulos, milhares ocuparam esta noite contra o golpe e o governo interino de Temer. A palavra de ordem do movimento é resistir e não recuar de direitos já adquiridos.

A ausência de mulheres no governo interino foi mostrada como praxe machista dos golpistas.

“Disseram que não tem problema não ter ministras mulheres, porque o Brasil não tem tempo a perder. Se o Brasil não tem tempo a perder, nós não temos tempo a Temer! Aquilo não é uma Esplanada de Ministérios, é uma casa grande”, discursou o deputado fluminense Marcelo Freixo (PSol).

Em Porto Alegre, cinco mil foram às ruas no final desta tarde — repetindo a mobilização de ontem (12), quando a Brigada Militar dispersou a multidão com bombas de gás lacrimogêneo e cassetetes. Hoje, no entanto, não houve violência.

Em São Paulo, estudantes secundaristas fizeram uma pergunta ‘incômoda’ em faixas: “Tão com saudade da ditadura?”; ativistas do movimento negro também realizaram protesto em frente à sede da ‘branca’ Federação da Indústria de São Paulo (Fiep) neste 13 de Maio.

Na capital paranaense, Curitiba, artistas, intelectuais, estudantes e professores ligados ao mundo da cultura ocuparam por tempo indeterminado a sede do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) contra a extinção do Ministério da Cultura. O movimento de resistência continua, conforme página no Facebook.

Para fechar o repolho, funcionários do Ministério da Educação ‘escracharam’ o novo ministro interino da pasta, Mendonça Filho (DEM-PE), durante cerimônia de posse nesta tarde. Ele foi recebido com vaias durante sua apresentação no palácio do Planalto. “O MinC é grande e não dá pra extinguir”, protestavam.

Como se vê, o governo ilegítimo de Michel Temer terá muito trabalho pela frente. Corre o risco de cair antes dos 180 dias previstos para o julgamento da presidente eleita.

3 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Mulheres amadas,
    Tb acho que seria bom haver mulheres(mulheres)no governo Temer, mas o fato de não tê-las não inviabiliza a gestão democrática ora no poder. É fato que os partidos não indicaram mulheres como tb é fato que as exemplares femininas no desastroso governo Dilma não dão orgulho a ninguém(Erenice, Ideli, Graça Foster, dentre tantas outras escandalosas). Vamos dar tempo ao tempo pois o que se precisa fazer agora é coisa de macho. Não há espaço para para masturbação social que vinham praticando. O Brasil continua em queda livre e alguém precisa saber abrir o paraquedas antes que nos espatifemos no fundo do poço. Precisamos chegar inteiros lá para de lá podermos sair. PT nunca mais. O Brasil precisa se desratizar por completo da gestão petista.

  2. Eu acredito na força do povo…Dilma guerreira da pátria brasileira! lindo demais,o povo resistindo e lutando contra o golpe! Emocionante!!!

  3. Só as mulheres do Senado podem nos salvar desse governo golpista. Se forem espertas perceberão que foram enganadas.