1º de Maio contra o golpe. Vem aí, greve geral

LULA_PAULISTAA Frente Brasil Popular organiza para o próximo domingo, 1º de Maio, Dia do Trabalhador, megamanifestações contra o golpe de Estado em curso no país. O ápice do movimento será em São Paulo, a capital mais operária da América Latina, onde se dará uma assembleia geral da classe trabalhadora.

A luta da Frente Brasil Popular é contra o processo de impeachment — ou golpe — contra a presidente Dilma Rousseff, e, caso o vice Michel Temer assuma ilegitimamente o cargo, não estará descartada uma greve geral.

Trabalhadores e movimentos sociais, aí, exigirão a realização de eleição direta para a presidente ainda este ano.

Segundo o presidente da CUT-SP e coordenador da Frente Brasil Popular, Douglas Izzo, o ato no 1º de maio será “uma assembleia popular da classe trabalhadora em defesa da democracia, contra o golpe, em defesa do direito dos trabalhadores”.

Seria a primeira vez, em décadas, que uma greve geral não teria pauta economicista, ou seja, estaria focada exclusivamente na demanda política: “eleição, já!”.

O calendário prevê protestos nas universidades, paralisações de várias categorias profissionais e mesmo obstrução de algumas vias para chamar atenção da população dos riscos que vive a democracia e, sobretudo, dos riscos da perda de direitos.

Comentários encerrados.