Delação de Delcídio atinge bico de Aécio e asa de Francischini, dizem congressistas

Polêmico acordo de delação premiada do senador Delcídio do Amaral (PT-MS), divulgado nesta quinta-feira (3) pela revista IstoÉ, atingiu em cheio a asa do deputado-morcego Fernando Francischini (SD-PR) -- conhecido como "Batman" no Paraná; senador Aécio Neves (PSDB-MG) também teria entrado na delação de Delcídio, segundo deputados federais ouvidos pelo Blog do Esmael; conforme reportagem de IstoÉ, Delcídio fez acordo com a força-tarefa da Lava Jato antes de deixar a prisão, no dia 19 de fevereiro, cujo depoimento tem 400 páginas.

Polêmico acordo de delação premiada do senador Delcídio do Amaral (PT-MS), divulgado nesta quinta-feira (3) pela revista IstoÉ, atingiu em cheio a asa do deputado-morcego Fernando Francischini (SD-PR) — conhecido como “Batman” no Paraná; senador Aécio Neves (PSDB-MG) também teria entrado na delação de Delcídio, segundo deputados federais ouvidos pelo Blog do Esmael; conforme reportagem de IstoÉ, Delcídio fez acordo com a força-tarefa da Lava Jato antes de deixar a prisão, no dia 19 de fevereiro, cujo depoimento tem 400 páginas.

O polêmico acordo de delação premiada do senador Delcídio do Amaral (PT-MS), divulgado nesta quinta-feira (3) pela revista IstoÉ, atingiu em cheio a asa do deputado-morcego Fernando Francischini (SD-PR) — conhecido como “Batman” no Paraná.

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) também teria entrado na delação de Delcídio, segundo deputados federais ouvidos pelo Blog do Esmael.

Conforme reportagem de IstoÉ, Delcídio fez acordo com a força-tarefa da Lava Jato antes de deixar a prisão, no dia 19 de fevereiro, cujo depoimento tem 400 páginas.

Francischini, o Batman, por sua vez, negou veementemente a delação do senador petista. Segundo o semanário, o deputado-morcego, juntamente com outros parlamentares, cobrava de empreiteiros para não serem convocados na CPI da Petrobras.

“O referido parlamentar [Delcídio Amaral] mentiu ‘escancaradamente’ em citação de minha pessoa”, defendeu-se Francischini por meio de ofício encaminhado ao ministro Teori Zavascki, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF).

Quanto à citação de Aécio, a revista IstoÉ foi seletiva ao divulgar apenas trechos que dizem respeito ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a presidente Dilma Rousseff.

Bombeiros de estibordo e bombordo saíram em campo para apagar o incêndio. A princípio, todos negam a veracidade da delação premiada de Delcídio.

Comentários encerrados.