“Eleições na Venezuela são eficientes e democráticas”, diz embaixador brasileiro Samuel Pinheiro

Sondagens de vários institutos de pesquisas são contraditórias entre si, mas mostram avanço dos chavistas na reta final; do total de 167 deputados, 113 serão eleitos pelo voto nominal e 51 por listas fechadas dos partidos; tendência é que o governo Nicolás Maduro conquiste a maioria das cadeiras na Assembleia Nacional, ou seja, mantenha a hegemonia no parlamento.

Sondagens de vários institutos de pesquisas são contraditórias entre si, mas mostram avanço dos chavistas na reta final; do total de 167 deputados, 113 serão eleitos pelo voto nominal e 51 por listas fechadas dos partidos; tendência é que o governo Nicolás Maduro conquiste a maioria das cadeiras na Assembleia Nacional, ou seja, mantenha a hegemonia no parlamento.

O embaixador brasileiro Samuel Pinheiro, em entrevista à Telesur, neste domingo (6), afirmou que as eleições parlamentares na Venezuela estão acontecendo sob os signos da organização e eficiência.

Nas eleições de hoje, cerca de 19 milhões de venezuelanos vão às urnas para eleger 167 deputados à Assembleia Nacional. O voto ocorre em urnas eletrônicas, mas que imprimem o voto.

“É um processo democrático, diferente do que diz a imprensa mundial”, declarou Samuel Pinheiro, que está no país caribenho para acompanhar o processo eleitoral.

O senador Roberto Requião (PMDB-PR) também está na Venezuela acompanhando as eleições parlamentares deste domingo. Na tarde de ontem (5), o parlamentar brasileiro, juntamente com o embaixador Pinheiro, realizaram várias inserções ao vivo pela TV 15 com transmissão pelo Blog do Esmael.

A tendência é que o governo Nicolás Maduro conquiste a maioria das cadeiras na Assembleia Nacional, ou seja, mantenha a hegemonia no parlamento.

Sondagens de vários institutos de pesquisas são contraditórias entre si, mas mostram avanço dos chavistas na reta final.

Sobre as eleições parlamentares da Venezuela:

Estão em disputa 167 cadeiras na Assembleia Nacional. O eleitor escolhe um candidato em lista fechada do partido e outro nominal, de determinado distrito eleitoral.

São 87 circunscrições no país, o que, segundo a oposição, favorece os chavistas.

Do total, 113 serão eleitos pelo voto nominal e 51 por listas fechadas dos partidos.

Comentários encerrados.