Prefeitura de Curitiba quer desobrigação de repassar “plus” de R$ 20 mi ao mês para a previdência

Prefeitura de Curitiba jura que não pretende confiscar previdência dos servidores, cujo saldo da poupança é de R$ 1,8 bilhão; secretário Municipal de Governo de Curitiba, Ricardo Mac Donald, diz que não há motivos para greves e paralisações; “cadê a greve?”, questionou, antes do início da entrevista para o Blog do Esmael, referindo-se à ameaça dos quatro sindicatos dos servidores.

Prefeitura de Curitiba jura que não pretende confiscar previdência dos servidores, cujo saldo da poupança é de R$ 1,8 bilhão; secretário Municipal de Governo de Curitiba, Ricardo Mac Donald, diz que não há motivos para greves e paralisações; “cadê a greve?”, questionou, antes do início da entrevista para o Blog do Esmael, referindo-se à ameaça dos quatro sindicatos dos servidores.

O secretário Municipal de Governo de Curitiba, Ricardo Mac Donald, em entrevista ao Blog do Esmael, nesta terça-feira (24), jurou de pés juntos que a gestão do prefeito Gustavo Fruet (PDT) não pretende confiscar os recursos do Instituto de Previdência dos Servidores Municipais de Curitiba (IPMC) — que pertencem aos 30 mil servidores municipais.

Segundo o secretário, o que se discute é a retirada de um plus de R$ 20 milhões mensais, que é adicionado aos 11% de contribuição dos funcionários, mais os 22% que cabe ao executivo municipal.

“O que se está se debatendo é o plus previsto na lei 12.821/2008, da época do então prefeito Beto Richa (PSDB), que representa R$ 20 milhões ao mês, além dos 22% já sagrados pela legislação”, assegurou.

De acordo com Mac Donald, essa lei antiga já tirou da fonte 00 (orçamento direito), em três anos de gestão Gustavo Fruet, a fabulosa quantia de R$ 474 milhões. “Essa obrigatoriedade de colocar esse dinheiro é que está sendo debatida em comissão paritária. Jamais discutimos retirar dinheiro desse fundo”, explicou.

O secretário de Governo disse ainda que a comissão paritária é formada por 4 sindicatos e pelo mesmo número de servidores da Prefeitura de Curitiba. “Estamos permanentemente em conversa com os funcionários”, revelou.

Mac Donald revelou que a Prefeitura discute a possibilidade de contribuir com o fundo de previdência com “imóveis”, ao invés de dinheiro.  “A lei federal permite a contrapartida com bens imóveis na contribuição”.

O capitão do time do prefeito Gustavo Fruet contou ainda que o Ministério da Previdência considera o IPMC “entre os 15 melhores do país”.

7 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. SUPER MEGA KIT COMPLETO WHATSAPP MARKETING DIVULGAÇÃO EM MASSA

    Alcance Seu Publico Alvo

    Alavanque Suas Vendas

    SITE: http://bit.ly/1QgntWx

  2. Que tal cortar todos os comissionados? Veja quantos apadrinhados são nomeados todos os dias pela secretaria de governo municipal administrada pelo nobre irmão do condenado de Foz do Iguaçu. A secretaria dele faz nomeaçoes todos os dias.
    Basta acessar para confirmar:
    http://legisladocexterno.curitiba.pr.gov.br/DiarioConsultaExterna_Pesquisa.aspx

  3. Se está entre as 15 melhores que a meta seja ficar em primeiro e não piorar. Imóveis??? Vou requerer minha aposentadoria na forma de uma sala comercial no edifício Delta de cujo aluguel sobreviverei.

  4. Igual ao Beto, só muda o nome. Neste nunca mais.

  5. O capitão do mato do Fruet que se esperte… O irmão condenado, tendo de devolver uma grana preta… o Gustavo periga nem ir pro segundo turno… vai ficar na fila do seguro desemprego.

  6. Votei neste cara e agora ele está fazendo o mesmo que o Beto! Tirando o dinheiro de nós funcionários para bancar os rombos no caixa, criados por incompetência. Se já não tinha o apoio do funcionalismo, agora perdeu de vez. Malaco!

  7. não dá para acreditar no mac, pois os fatos comprovam as manobras do fruet como colocar comissionados na comissão de servidortes.