Richa requenta promessas não cumpridas no “Pacote de Maldades 3”

richa_caloteiroO Blog do Esmael identificou ao menos 13 itens requentados no “Pacote de Maldades 3” anunciado ontem (3) pelo governador Beto Richa (PSDB). Ao todo, o tucano divulgou 18 pontos para “reaquecer” a economia paranaense.

Dentre as “bondades” repetidas pelo marketing do Palácio Iguaçu estão pagamento de dívidas atrasadas, programa nota fiscal paranaense, linhas de crédito do BRDE, Fomento e SEDU.

Com mais de 80% de reprovação nas pesquisas de opinião, o governador do PSDB teve a gênese do declínio político no estelionato eleitoral — “o melhor está por vir” — cantado em verso e prosa após a reeleição de 2014.

O pacote de notícias velhas com roupagem nova tenta driblar a realidade cruel do governo tucano, que arranca o couro dos trabalhadores e do setor produtivo do estado. A estratégia de tentar enrolar os mais desavisados pode transformar-se em um tiro no bico do tucano.

No “Pacote de Maldades 1”, aprovado em dezembro, Richa aumentou ICMS (50%), IPVA (40%); nos últimos meses, a tarifa da Copel subiu 70% e da Sanepar 20%; a tarifa de ônibus na rede metropolitana desintegrou e também subiu.

Já o “Pacote de Maldades 2” consistiu no confisco à força de R$ 8 bilhões da poupança previdenciária dos servidores públicos. O custo político foi alto: 213 pessoas covardemente feridas pela ação violenta da polícia e a popularidade do governador irrecuperável.

Este “Pacote de Maldades 3” tem a alma calcada na “antecipação de recebíveis”, algo em torno de R$ 6 bilhões (mais tarde o tema será dissecado pelo Garganta Profunda de Londrina), e na farra da propaganda. Muita propaganda, diga-se de passagem.

Entretanto, chama a atenção a trapalhada na estratégia dos marqueteiros pagos a peso de ouro. A repercussão dos factoides de ontem foi ofuscada pela notícia da PM sem viaturas e hoje, conforme registro no Blog do Esmael, o corte de comida para a Polícia Civil.

A antecipação do 13º salário só será possível graças ao sangue dos professores que correu o Centro Cívico no dia 29 de abril. O dinheiro é fruto de saques na poupança previdenciária, portanto, essa “bondade” é um “peido de véia” no meio desse novo pacotaço de maldade.

Comentários encerrados.