Em menos de 24 horas, Beto Richa dá versões diferentes sobre escândalos de corrupção no governo

Compartilhe agora!

richa_corrupcaoO governador Beto Richa (PSDB) está batendo biela para responder à crise moral que assola sua gestão, carcomida por denúncias de corrupção de amigos e do primo Luiz Abi Antoun.

Em menos de 24 horas, o tucano apresentou duas versões para as investigações de fraude em licitações, propinas na Receita Estadual e casos pedofilia no círculo do poder estadual.

À jornalista Joice Hasselmann, da TV Veja, ontem Richa atacou promotores do Gaeco – a quem chamou de “raivosos” – acusando-os de estarem mancomunados com o senador Roberto Requião (PMDB).

Na mesma entrevista a Veja, o governador defendeu o lobista Luiz Abi afirmando que “não havia sentido” para a prisão de seu parente.

Pois bem, neste sábado à noite o governador Beto Richa concedeu entrevista à RPC TV (Globo). Agora ele adotou a linha de que Abi é seu “parente distante” e admitiu que tem “algum convívio social” com o homem acusado de “chefiar uma quadrilha” no governo do estado.

A entrevista de hoje foi um avanço porque, há uma semana, Richa afirmou à Rádio CBN Londrina que Luiz Abi não era seu parente. “Até pelo Código Civil, é um parentesco tão distante que não é nem considerado parente” (clique aqui).

As denúncias de corrupção chegaram ontem ao primeiro escalão do governo, o que apavorou o Palácio Iguaçu. O Gaeco de Londrina adianta que haverá desdobramentos das operações na semana que vem, ou seja, novas prisões deverão ser efetuadas no entorno do Centro Cívico.

A secretária da Administração, Dinorah Nogara, foi apontada pelo Ministério Público como facilitadora da ação do primo do governador visando às fraudes nas licitações de oficinas mecânicas investigadas na Operação Voldemort.

Compartilhe agora!

Comments are closed.