Por Esmael Morais

Richa é alvo de protestos nas redes sociais por causa do “pedágio mais caro do mundo” nas rodovias do PR

Publicado em 28/12/2014

Assaltos nas rodovias do Paraná

Boa tarde Esmael, nas minhas poucas e simples palavras gostaria de registrar aqui o meu total descontentamento ao viajar pelas estradas do meu estado e ser obrigado a desembolsar os valores absurdos para este assalto que são estes pedágios do Paraná.

Saindo de Maringá, onde moro com minha família, rodei aproximadamente 20 km até Mandaguari e já fui assaltado em R$ 6,50, logo mais em Ortigueira R$ 9,50, quarenta minutos depois mais R$ 9,50, em Imbaú; depois em Tibagi mais R$ 9,50, logo mais adiante R$ 7,10 em São Luiz do Purunã. No último pedágio do Paraná, praça 23, com o nome de Witimarsum, fui assaltado novamente em R$ 10,10 totalizando ate aqui o valor de = R$ 52,20 tendo rodado aproximadamente 400 km , o que dá uma média de R$ 13,05 a cada 100 km.

Quando passei São José dos Pinhais e segui pela BR-376 em direção a Santa Catarina com destino a Itapoá com distancia aproximada de 100 km de Curitiba passei pelo 1 pedágio e como eu já sabia do valor de R$ 1,80 paguei com muita satisfação , quase chegando a Garuva passei pelo 2 pedágio também de R$ 1,80, fiquei muito surpreso , pois se tratava de uma rodovia duplicada com os mesmos serviços prestados nas do Paraná, ai veio a questão????

Rodei no Paraná + ou – 450 km sendo que metade desse trajeto em pista simples e paguei em média R$ 13,00 a cada 100 km. E em Santa Catarina rodei até Garuva aproximadamente 100 km e paguei com muita satisfação R$ 3,60 a cada 100 km sendo que nestes últimos 100 km são duplicados e com os mesmos serviços do Paraná, portanto, além de muito mais caro, no Paraná a metade são estradas simples e ainda de quebra os usuários estão sozinhos nesta briga e com o governador fazendo propaganda para as concessionárias com dinheiro público.

Precisamos virar este jogo, chega de ser expectadores vamos fazer algo para mudar essa cruel realidade , chega dessa roubalheira, espero poder contar com sua colaboração Esmael divulgando esse meu relato. Obrigado!!!!

Joaquim José Usuna
Maringá-PR