No Paraná, PF investiga aloprado em ‘campanha suja’ pró-Richa

Publicado em 1 outubro, 2014
Compartilhe agora!

Aloprado da campanha de Richa pede R$ 500 mil para entregar "mocó" com toneladas de propaganda apócrifa contra Gleisi e Requião; ex-secretário Maurício Requião denunciou o fato à  Polícia Federal; Com certeza é dinheiro de caixa dois!, disse o peemedebista.
Aloprado da campanha de Richa pede R$ 500 mil para entregar “mocó” com toneladas de propaganda apócrifa contra Gleisi e Requião; ex-secretário Maurício Requião denunciou o fato à  Polícia Federal; Com certeza é dinheiro de caixa dois!, disse o peemedebista.
A Polícia Federal (PF) tenta localizar um “mocó” em Curitiba que esconde materiais de ‘campanha suja’ do PSDB contra adversários do governador Beto Richa.

Segundo o ex-secretário da Educação, Maurício Requião, um coordenador da campanha tucana foi ao comitê peemedebista “vender” por R$ 500 mil informações sobre o local em que estariam escondidos os impressos apócrifos contra a petista Gleisi Hoffmann (PT) e Roberto Requião.

Para provar que falava a verdade, o aloprado da campanha de Richa teria levado fotos de propaganda negativa contra Gleisi “mocozadas” em esconderijo secreto do PSDB.

Eram imagens com milhares da revista Panorama! em papel de alta gramatura, portanto, bastante cara. Com certeza é dinheiro de caixa dois!, disse Maurício Requião.

Diante do pedido de dinheiro, o ex-secretário e irmão do senador Requião chamou a Polícia Federal. Agora o tucano agora é investigado.

Compartilhe agora!

Comments are closed.