Folha erra 100% em tese para a Copa

via Brasil 247

Investimento editorial do jornal em papel de maior circulação do País foi no partido de que Brasil sofreria colapso fora dos gramados, mas Seleção daria show dentro das quatro linhas; aconteceu exatamente o contrário; País festejou, mostrou face hospitaleira e infraestrutura funcionou; agora atacado, time do técnico Felipão foi apoiado desde a convocação e até na forma festiva de concentração; colunistas elogiaram esquema tático; ufanismo científico, digamos, definiu cobertura esportiva do jornal da família Frias; próximo passo é seguir atacando política econômica.

Investimento editorial do jornal em papel de maior circulação do País foi no partido de que Brasil sofreria colapso fora dos gramados, mas Seleção daria show dentro das quatro linhas; aconteceu exatamente o contrário; País festejou, mostrou face hospitaleira e infraestrutura funcionou; agora atacado, time do técnico Felipão foi apoiado desde a convocação e até na forma festiva de concentração; colunistas elogiaram esquema tático; ufanismo científico, digamos, definiu cobertura esportiva do jornal da família Frias; próximo passo é seguir atacando política econômica.

No partido editorial adotado para a cobertura da Copa do Mundo no Brasil, o jornal Folha de S. Paulo, repleto de estatísticas, conseguiu um feito e tanto: errou 100%. No dia 12 de junho, quando o Mundial começou em São Paulo, a manchete do diário de maior circulação do País dizia: Copa começa hoje com seleção em alta e organização em xeque. O que se viu, a partir dali, foi exatamente o contrário da previsão embutida na chamada principal. Quem estava mesmo sob suspeita era o time convocado e escalado pelo técnico Felipão, apesar dos elogios em cascata dos colunistas da própria Folha.

Ao inverso do tom do noticiário de assuntos nacionais, em complemento, não ocorreu o colapso de infraestrutura projetado pela publicação. O quadro de manifestações marcadas pelo vandalismo foi ultrapassado pelo fatos ainda mais forte criados pela esmagadora maioria da população: festas, confraternizações, imensas reuniões pacíficas. A franca hospitalidade popular com os estrangeiros, traço que parecia riscado, a julgar pela escalação dos fatos na régua editorial da Folha, foi o que mais se viu. Não havia o xeque armado pelo jornal, em articulação com outros representantes da mídia familiar.

Nesta quarta-feira 9, após a humilhante goleada sofrida contra a Alemanha, a Seleção de Felipão, até então tratada com todo o zelo possível pelo jornal, foi, como não poderia ser diferente, desconstruídas em todo o noticiário esportivo. Mas até a véspera, a Folha era mais um veículo a praticar o ufanismo de sempre no noticiário esportivo, combinado com a má vontade frente aos assuntos considerados ‘mais sérios’.

6 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. FALANDO DE FUTEBOL!!

    NO BRASIL “AINDA ACREDITAM” QUE CRAQUES DE FUTEBOL “BROTAM DO CHÃO OU NASCEM EM ÁRVORES!”
    MAS ALEMANHA 7 X BRASIL 1, DEU OUTRA E FORTE PAULADA NA CABEÇA DESTA BOBAGEM DO PASSADO!

    Esmael e demais coisas como a “Pátria de chuteiras”, “país do futebol”, “terra do futebol-arte”, “celeiro de craques” e “futebol: paixão nacional”, “vá nos campos de várzea e nos campinhos das periferias das cidades e escolha seu futuro craque”, são algumas das expressões adotadas para identificar o futebol como uma das bandeiras culturais do Brasil. Alguns resultados expressivos em competições internacionais amplamente explorados pela mídia e a constante revelação de talentos fizeram com que essa mística falsa e hipócrita se consolidasse no imaginário alienado popular. Agora aguentem a imprensa nacional relatar, comentar e criticar esse período de crise apresentando como sempre opiniões que prometem ser a solução para salvar o futebol. Irão inicialmente mapear a conjuntura do período do esporte no Brasil e analisar o significado de certas ações no campo esportivo futebolístico. Mas o básico é o seguinte: estado financeiro decadente dos clubes de futebol, a recorrente desorganização com baixo nível técnico dos campeonatos estaduais e nacionais que são movidos por interesses corruptos, políticos, deficitários e consequentemente violência junto a diminuição da média de público nos estádios.
    A conjuntura nos diz faz anos e não precisa ser do meio, ou seja: “O futebol brasileiro caiu de novo no fundo do poço!”
    A eterna crise do futebol brasileiro, amplamente divulga pela mídia e conhecia por todos é causada por um conjunto de fatores:
    De ordem econômica: fracasso financeiro dos clubes, campeonatos deficitários, empobrecimento da população: tudo isso relacionado, de modo geral, ao fim do período do “milagre” econômico, ao adensamento da recessão no final dos anos 70, à inflação, enfim, ao que os economistas passaram a denominar de “a década perdida da economia brasileira”.
    De ordem social: péssimo nível educacional e cultural, aumento da violência e da insegurança nos estádios.
    De ordem político-administrativa: a interferência do Estado, através de uma legislação esportiva que não dava autonomia aos clubes e federações; os interesses pessoais e políticos dos diretores das federações, da CBF e de alguns clubes; o paradoxo de haver dirigentes amadores e corruptos administrando uma atividade cada vez mais profissional e comercial.
    De ordem técnica: a falta de grandes craques experientes como em décadas passadas, associada ao êxodo dos melhores jogadores em atividade para o exterior, tendo em vista o empobrecimento dos clubes. Tudo isso se reflete no progressivo desinteresse e afastamento dos torcedores dos estádios.

  2. Esse pessoal da folha estão mais pra um bando de pitoniza ou um bando de ciganas do que para o jornalismo, eles falando são lixo, que já assistiu as competições Europeias, como eu que tenho minha SKY EM CASA EXCLUSIVAMENTE PRA ASSISTIR O FUTEBOL EUROPEU DE ALTO NÍVEL, TEM UM CANAL, QUE ESPN INTERNACIONAL E OUTROS CANAIS QUE PASSA OS JOGOS DELES INCLUSIVE EU ASSISISTINDO ALGUNS JOGOS AMISTOSOS DELES DÁ GOSTO EU ANTES, JÁ AFIRMAVA A ALEMANHA É A FAVORITA NÃO SÓ NESTA COPA, OS CARAS ME CHAMAVAM DE DOIDO, NO MEU TRABALHO, OS CARAS, FALARAM QUE IA DÁ BRASIL 3X0, EU FALEI EU ESTOU TORCENTO PRA SER UM JOGO EQUILIBRADO, PELO MENOS O BRASIL PERDE DE POUCO TAÍ, PARECE ASSIM UMA COISA VEIO AQUELA LIÇÃO DE COM SE JOGA FUTEBOL E GOLIADA OMERICA, PRÁ CONCLUIR, NÓS PRECISAMOS NOS RECICLAR NO FUTEBOL E A ESCOLA É ALEMÃ.

  3. E os Coxinhas Rola-bostas atucanados continuam acreditando no PIG e por isso continuam burros.

  4. Esmael poderia uma hora dessa emitir sua opinião sobre algum assunto. Ficar criticando o que os jornais, jornalistas, analistas, comentaristas expõem é fácil. Vamos se arrisque!!!!

  5. Excelente artigo do Brasil 247, com olho do Esmael, é de artigos assim que precisam ser bem difundidos para todos os brasileiros ficarem “avisados” do trabalho sorrateiro dessa mídia golpista que “contextua” negativamente contra Dilma e Lula mas esconde seu candidato (certamente o Aécio).

  6. …eu nao preciso ler jornais mentir sozinho eu sou capaz…