Coluna do Rocha Loures: A Copa que precisamos ganhar é outra

Rodrigo da Rocha Loures, em sua coluna de estreia, neste domingo, analisa a derrota da seleção brasileira na Copa; ele cita Tostão dizendo que é preciso reformular conceitos e diminuir a promíscua troca de favores, uma praga nacional que assola o futebol e o país! para logo em seguida afirmar que o Brasil, com seu interminável potencial, não é capaz de produzir políticas e práticas que produzam resultados desejados. Nossa cultura, ou seja, o jeito brasileiro de fazer as coisas, esgotou sua capacidade de acompanhar o movimento global de competição. A Copa que precisamos ganhar é outra. à‰ a do empreendedorismo!; leia o texto e compartilhe.

Rodrigo da Rocha Loures, em sua coluna de estreia, neste domingo, analisa a derrota da seleção brasileira na Copa; ele cita Tostão dizendo que é preciso reformular conceitos e diminuir a promíscua troca de favores, uma praga nacional que assola o futebol e o país! para logo em seguida afirmar que o Brasil, com seu interminável potencial, não é capaz de produzir políticas e práticas que produzam resultados desejados. Nossa cultura, ou seja, o jeito brasileiro de fazer as coisas, esgotou sua capacidade de acompanhar o movimento global de competição. A Copa que precisamos ganhar é outra. à‰ a do empreendedorismo!; leia o texto e compartilhe.

Rodrigo da Rocha Loures*

O fracasso do Brasil na Copa do Mundo provocou uma busca imediata por explicações para o desastroso resultado assim que soou o apito final da partida.

O caminho mais fácil nessas ocasiões é procurar um único culpado, um bode expiatório que carregue toda a responsabilidade pelo projeto naufragado. Mas esta saída, apesar de apaziguar os primeiros sentimentos de revolta, não resiste à s reflexões mais aprofundadas.

A derrota de contornos trágicos sofrida pela seleção na Copa é mais um apagão da série que aflige o Brasil: energia, água, saúde, mobilidade urbana, violência, má qualidade do ensino público, desindustrialização, desequilíbrio na balança de pagamentos, estagnação etc.

Mas o que está no cerne dessa falência múltipla de órgãos?

Como escreveu Tostão, é preciso reformular conceitos e diminuir a promíscua troca de favores, uma praga nacional que assola o futebol e o país!.

O Brasil, com seu interminável potencial, não é capaz de produzir políticas e práticas que produzam resultados desejados. Nossa cultura, ou seja, o jeito brasileiro de fazer as coisas, esgotou sua capacidade de acompanhar o movimento global de competição.

à‰ urgente uma mobilização para mudanças de atitude, curso e formas de operação no Brasil. Sugiro aproveitarmos o período eleitoral para nos focarmos na defesa de mudanças fundamentais, em três eixos: segurança jurídica; cultura e educação empreendedora; e ambiente regulatório.

Para a retomada dos investimentos: reduzir a insegurança jurídica em todos os níveis, em particular no sistema tributário.

Para o bem estar social: promover a educação empreendedora, como item fundamental na educação de base e no ensino superior.

Para uma base de inovação sustentável: promover programas voltados para a cultura empreendedora, reduzir a burocracia para abertura e manutenção de empresas e criar mecanismos para possibilitar investimentos em empresas nascentes.

A Copa que precisamos ganhar é outra. à‰ a do empreendedorismo.

*Rodrigo da Rocha Loures é presidente do Conselho Deliberativo do Instituto Brasileiro da Qualidade e Produtividade !“ IBQP e ex-presidente da Federação das Indústrias do Estado do Paraná !“ Fiep (2003/2011). Escreve nos domingos.

13 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Mais um querendo nos jogar para baixo e nos convencer que não prestamos para nada.Não! O que chamamos de “jeito brasileiro” é nossa força! Somos criativos, trabalhadores e temos um humor bem particular até nas adversidades
    Globalização e competição internacional é um jogo sujo que as nações exploradoras usam para continuar um interminável processo de colonização.
    A frase abaixo é de chorar:

    “Nossa cultura, ou seja, o jeito brasileiro de fazer as coisas, esgotou sua capacidade de acompanhar o movimento global de competição.”

  2. Para ganharmos a copa do empreendedorismo teremos que mudar o comando do time. Como teremos uma país mais empreendedor se estamos sempre elegendo os mesmo, quando mudamos, elegemos o filho do cara, o neto do cara, o sobrinho do cara. COMO ESPERAMOS MUDAR UM PAÍS SE CONTINUAMOS SEMPRE VOTANDO NAS MESMAS PESSOAS COM OS MESMO MAU HÁBITOS?

    MANIFESTO PELO FIM DAS OLIGARQUIAS POLÍTICAS DO ESTADO DO PARANÁ
    Solicito licença para utilizar este espaço, quero exigir o fim da OLIGARQUIA POLÍTICA NESTE ESTADO. Temos grupos de interesses e famílias que dominam o poder político em nossa terra à muitas gerações, manipulando nossas ideias e escravizando nosso trabalho, sugando nossa liberdade de sonhar e projetar um lugar melhor para viver, mentindo constantemente a fim de manter o domínio das massas. Temos grupos que historicamente dominam o aparelho de estado à fim de manter direta e indiretamente o controle de fluxo de informações, capitais e privilégios; utilizando tudo unicamente em benefício próprio. De outro lado, esta classe dominante, através do controle do poder, semeia pobreza, carência e miséria, através da constante escravização da classe trabalhadora e recolhedora de pesados tributos ao governo.
    Temos um estado onde poucas famílias controlam o poder e a opinião pública, há muitas décadas. Chegamos então ao limite, pois para continuarmos progredindo e avançando, precisamos nos libertar dessa gente, que só nos explora e nos lança ao atraso social. Precisamos buscar MÉTODOS MAIS MODERNOS E JUSTOS DE GESTÃO PÚBLICA, e as pessoas que aí estão não tem interesse e nem capacidade de mudar e melhorar, não são capazes de ousar.
    Em 2014 VOTE DIFERENTE, BUSQUE NOVAS PESSOAS. A política é para melhorar a vida da coletividade e não de apenas algumas pessoas, política não é profissão, não é uma maneira das pessoas se encostarem e explorarem o próximo. Os cargos públicos devem ser ocupados pelos diversos setores da sociedade, devem ser rotativos, não podem ter donos, pertencer a poucas famílias”¦ Temos que deixar de votar no avô, depois no filho, no neto, no sobrinho”¦Chega dos mesmos, chega dos Richas, dos Requiões, dos Buenos, dos Massas, dos Stephanes, dos Barros Braga, dos Rocha Neto, dos Andrade Vieira, dos Lerner, dos Fruet, dos Rocha Loures, dos Camargos, dos Khury, dos Malucelli, dos Mussi, dos Pimentel, dos Dias, dos Gomes, dos Araújos, dos Slavieros, dos Traianos, dos Simões, dos radialistas demagogos, de toda essa tralha”¦ Enfim, CHEGA DO PASSADO, VAMOS EM FRENTE A UM NOVO FUTURO”¦ Essa gente não é o povo, eles são egoístas demais para pensarem na gente”¦. VAMOS MUDAR”¦
    COMO ESPERA TER UMA VIDA MELHOR, SE CONTINUA FAZENDO O QUE SEMPRE FEZ? Mude as pessoas que administram esse país, se não fizeram nada por você até hoje, não vai ser agora que irão fazer.

    Gostou? Copie e cole, mande para os seus amigos..

  3. MERITOCRACIA ELEITORAL É DEMOCRACIA DIRETA, É ACESSO E PARTICPAÇÃO DIRETA DA POPOPULAÇÃO AOS CARGOS DIRIGENTES DA UNIÃO, ESTADOS E MUNICÍPIOS. A nosso ver, para libertarmos a vaca salomé ( os erários), de modo a sobrar dinheiro para aplicarmos em educação, saúde, segurança, desenvolvimento, qualidade de vida, e bem-estar social, p. ex., temos que acabar com a cupinzeira, os carrapatos e cia, gerados pelo gollpismo-ditatorial e o partidarismo-elleitoral, velhacos, e o único jeito que temos é instituir a Democracia Direita, com a Meritocacria Eleitoral, participação direta da sociedade, colocando todos os que sonham com boquinhas em todos os erários, federal, estadual e municipal, no banquinho do concurso público padrão, em absoluta condições de igualdade, sem distinção, abolindo o dinheiro da competição como o dito cujo é hoje senhor das eleições e patrão dos eleitos, selecionando-os, doravante, pela capacidade e méritos, merecimento, apostando as nossas últimas fichas naqueles que, desde crianças, se deram ao trabalho de trilhar o caminho mais difícil da escola, da educação, da instrução, do conhecimento, da sabedoria, da conscientização e da evolução, de modo que não seja necessário e não tenham motivo algum para venderem a alma ao diabo, ou fazerem os diabos, por causa de uma eleição, exterminando assim os dois demônios que, no Brasil, estão nos levando à loucura, que são o gollpismo-ditatorial e o partidarismo-elleitoral, velhacos, face aos quais neste pais tudo começa ou termina em politicalha-partidária-elleitoral, ou gollpe, que há pelo menos 125 anos divide, fragmenta, rivaliza, acirra e inimiza o conjunto da sociedade, infiltrados, usando e manipulando tudo, tornando as nossas vidas um inferno, face à guerra tribal primitiva dos mesmo pelo poder, sintetizada no velho “quanto pior, melhor”, o tempo todo, a vida toda, obrigando-nos a tomar partido, ficar marcado, ser perseguido e alvejado por todos os lados, impondo-nos todos os ônus enquanto elles, “os bonitos”, ficam com todos os bônus e no bem bom, e os otários com contas a pagar a sumir de vista, acossados por toda sorte de inimigos e predadores, sob o efeito da ilusão de que isso é Democracia. BASTA.

  4. Gostaria de saber qual o email do Colunista Rocha Loures para que eu pudesse entrar em contato com ele.

  5. eu acho a copa serviu p muita coisas mostra o brasil como ele eh povo bom trabalhador tinha 32 seleçao nos ficamos 4 esta bom

  6. Ora caríssimo “empreendedor mor”, o vosso filho é braço direito da prisidanta Dilma, por que suas ideias não foram transmitidas através dele? De quanto tempo vocês políticos precisam para colocar em pratica suas ideias? De quanto poder? por que não fizeram ainda? Não basta apenas “ensinar” a população, tem que dar o exemplo? E exemplos, infelizmente somos pobres. Corte na propria carne.

  7. Insegurança juridica é com o Requião que adora questionar e não cumprir contratos.Conta outra tá e o que faz seu filhinho Rodriguinho nas tetas do Temer Vice do Pt no governo federal que nãoajuda em nada e agora em época de eleição vcs vem com esse discuso aí. Sabe de nada né.

    • O caro jurídico . Acorda o povo já sabe que esta na hora de arrancar este DESGOVERNO DO DIALOGO !? UM IMCOMPETENTE SE ESTA INAUGURANDO ALGUMA COISA E FRUTO DAS POLITICAS DO PT E DO GOVERNO ANTERIOR REQUIÃO REQUIÃO MEU IRMÃO !!!!!!!!!!!! QUALQUER COISA NO ESTADO É MELHOR QUE ESTE ATUAL GOVERNO .

      HÁ RODRIGO ROCHA LORES SERÁ O FUTURO GOVERNADOR JUNTO COM O PT E O PMDB!

    • Se o REQUIÃO não cumpre contrato fico imaginando como posso classificar o governo federal e desgoverno no PARANÁ.

  8. Finalmente um colunista com idéias construtivas, sem politicagem!

  9. O que precisa mudar “seo” Rodrigo, é a maneira de atuar dos políticos, penso que 90% (ou mais) são imorais, desonestos… e sem vergonha. E nós, povão sem cultura, influenciados pelos holofotes que a mídia (comprada) produz, votamos nessa escória.

  10. Boa Rocha Loures… Empreender é preciso… e se faz necessário…