Veja como foi o protesto da Copa em Curitiba; assista ao vídeo

Rosani Moreira, da Marcha Mundial de Mulheres, nesta noite, falou sobre a exploração de crianças e mulheres durante a Copa. "Não queremos nada padrão Fifa, que não é padrão pra nada"; movimentos sociais também abordaram temas como mobilidade urbana e remoções forçadas para atender à  realização do campeonato mundial.

Rosani Moreira, da Marcha Mundial de Mulheres, nesta noite, falou sobre a exploração de crianças e mulheres durante a Copa. “Não queremos nada padrão Fifa, que não é padrão pra nada”; movimentos sociais também abordaram temas como mobilidade urbana e remoções forçadas para atender à  realização do campeonato mundial.

Os movimentos sociais foram ao divã esta noite, em Curitiba. Setores da esquerda do PT, PSTU e PSol realizaram uma “aula pública” sobre o legado da Copa. A maioria dos “alunos” era composta por profissionais da imprensa. Cerca de 50 pessoas assistiram à  aula em pleno centro da capital paranaense.

Também estiveram presentes coletivos como o Movimento por Moradia, Movimentos Feministas, Consulta Popular e Levante Popular da Juventude.

Ao Blog do Esmael, Anna Galeb, secretária executiva do Comitê Popular da Copa, uma das organizadoras do manifesto de hoje à  noite, jura que não houve defesa da realização da Copa. Segundo ela, a ideia era “discutir quem sai ganhando com a realização do evento no Brasil e na cidade”.

Dr. Sigmund, o psicanalista do prefeito Gustavo Fruet (PDT), se comprometeu em atender essa galera tão logo resolva o problema do pão! e da vagem! que vivem crise existencial semelhante aos militantes de esquerda (clique aqui).

O Blog do Esmael acompanhou de perto a manifestação na Boca Maldita.

Assista ao vídeo:

Comentários encerrados.