Pessuti joga “pá de cal” no sonho de coligação entre Richa e PMDB

Orlando Pessuti jogou duas pás de cal no sonho de Beto Richa, que pretendia seu apoio para coligar com o PMDB; neste final de semana, nos Campos Gerais, o peemedebista peregrinou pela candidatura própria ao lado do ex-senador Sérgio Souza e do ex-deputado Rocha Loures; ato contínuo, o ex-governador nomeou o filho, Moisés Pessuti, como conselheiro de Itaipu Binacional; ao Blog do Esmael, o ex-senador Sérgio Souza afirmou que a candidatura própria "pode ser até em torno do senador Roberto Requião"; ele não descarta ainda concorrer ao Senado; "Tudo depende de muita conversa até a convenção no dia 20 de junho", disse.

Orlando Pessuti jogou duas pás de cal no sonho de Beto Richa, que pretendia seu apoio para coligar com o PMDB; neste final de semana, nos Campos Gerais, o peemedebista peregrinou pela candidatura própria ao lado do ex-senador Sérgio Souza e do ex-deputado Rocha Loures; ato contínuo, o ex-governador nomeou o filho, Moisés Pessuti, como conselheiro de Itaipu Binacional; ao Blog do Esmael, o ex-senador Sérgio Souza afirmou que a candidatura própria “pode ser até em torno do senador Roberto Requião”; ele não descarta ainda concorrer ao Senado; “Tudo depende de muita conversa até a convenção no dia 20 de junho”, disse.

No Palácio Iguaçu dá-se como “certo” o apoio do ex-governador Orlando Pessuti para levar o PMDB à  coligação pela reeleição do governador Beto Richa (PSDB). Prova disso, ontem à  noite, na entrevista ao programa Roda Viva da TV Cultura, o tucano “puxou o saco” do peemedebista como nunca visto antes nas terras das araucárias (confira aqui).

O diabo é que Pessuti tem feito expedições pelo interior do Paraná em nome da candidatura própria do partido. Ele mesmo se coloca como postulante à  cadeira que Richa tenta se agarrar.

No último final de semana, por exemplo, ao lado de seu pupilo e fiel escudeiro ex-senador Sérgio Souza, percorreu a região dos Campos Gerais levando a mensagem da candidatura própria. Como testemunha, ali estava o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures, olheiro da direção nacional do PMDB e que hoje segura a bandeira da unidade do partido para a disputa de outubro.

Ao Blog do Esmael, ontem à  noite, Sérgio Souza também afirmou que ele e Pessuti topam discutir chapa única do PMDB. “Pode ser até em torno do senador Roberto Requião”, afrouxou o ex-senador, que não descarta ainda concorrer ao Senado. “Tudo depende de muita conversa até a convenção no dia 20 de junho”, disse.

Por sua vez, Pessuti mostra-se cada vez mais enraizado no campo político da presidenta Dilma Rousseff no Paraná. O jornal Gazeta do Povo, edição desta terça (6), dá mais uma pista neste sentido ao revelar que o filho do ex-governador, o advogado Moisés Pessuti, substituiu o pai no conselho da Itaipu Binacional.

Se o Palácio Iguaçu contava com Pessuti para levar o PMDB à  reeleição de Richa, esqueça. “Já Elvis”, como se diz por aí.

Comentários encerrados.