Dilma envia proposta ao Congresso de participação popular na reforma política

da Agência Brasil

Dilma Rousseff participou ontem, em Brasília, do 17!º Congresso da UJS, braço político do PCdoB na juventude, quando anunciou que encaminhou ao Congresso Nacional proposta de participação popular no processo de reforma política; presidenta também destacou avanços obtidos pelo país na educação, a realização da Copa das Copas!; Não temos do que nos envergonhar e não temos complexo de vira-lata!, disse a mandatária, ao referir-se a setores da imprensa e da oposição que criticam o campeonato mundial.

Dilma Rousseff participou ontem, em Brasília, do 17!º Congresso da UJS, braço político do PCdoB na juventude, quando anunciou que encaminhou ao Congresso Nacional proposta de participação popular no processo de reforma política; presidenta também destacou avanços obtidos pelo país na educação, a realização da Copa das Copas!; Não temos do que nos envergonhar e não temos complexo de vira-lata!, disse a mandatária, ao referir-se a setores da imprensa e da oposição que criticam o campeonato mundial.

A presidenta Dilma Rousseff anunciou ontem (24), em Brasília, que encaminhou ao Congresso Nacional proposta de participação popular no processo de reforma política. Encaminhei ao Congresso uma proposta de participação popular para que todos possam participar do processo de reforma política. Estou convencida que sem a força da participação popular não teremos a reforma política que o Brasil exige e necessita!, disse a presidenta em discurso no 17!º Congresso da União da Juventude Socialista (UJS).

Ela ressaltou a importância da educação no processo de desenvolvimento do país e fez questão de mencionar vários programas do governo na área, como o Programa Universidade para Todos (ProUni), o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) e o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), além de citar os números do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), divulgados na manhã deste sábado (24), quando foram registrados 9,5 milhões de inscritos.

Dilma participou do ato Amar e mudar as coisas para o Brasil avançar!, uma das atividades do congresso da UJS.

A presidenta também falou sobre a Copa do Mundo, que tem início no dia 12 de junho, e reafirmou que o Brasil fará a Copa das Copas. Tenho certeza que o país fará a Copa das Copas. Tenho certeza da nossa capacidade e do que fizemos. Não temos do que nos envergonhar e não temos complexo de vira-lata. Sei que vocês estão engajados na defesa da nossa Copa. Vamos mostrar a melhor Copa de todos os tempos!.

O congresso da UJS teve início na última quinta-feira (22) e reune cerca de 2,5 mil jovens. Em sua abertura, a UJS cobrou a revisão da Lei de Anistia, com punição aos torturadores, e prestou homenagem à s vítimas da Guerrilha do Araguaia, ocorrida entre o fim dos anos 1960 e início dos anos 1970, no sul do Pará e norte de Goiás (hoje Tocantins), na região conhecida como Bico do Papagaio.

9 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Mazia: Às manifestações e protestos – pacíficos até a tropa paga por Gilbertinho entrar em ação – junho do ano passado, Dilma respondeu com a possibilidade de plebiscito e mais não disse. O PT chegou ao Poder prometendo reformas, mudanças. Agora, em plena efervescência de campanha, essa senhora de queixo e nariz acima da torre da Embratel, pinta em assembleia dessa turma de subvencionados falando prometendo-as.
    Marmelada na hora da morte mata, dizia minha ama preta Laudelina.
    Tente idiotizar, Mazia, o pessoal do Vota Família, mais os milhares de analfabetos funcionais e os “aparelhados”.

    • – Protestos e manifestações – pacíficos até…?! Por favor, não queira jogar no colo do PT o rastro de destruição dos black-blocs, pois eles são cria da oposição.
      – O PT está no poder, mas não tem o poder. Uma coisa é querer, outra é depender de um congresso fisiológico.
      – Se marmelada na hora da morte mata, então por que está tão preocupado com o agir da Dilma?!
      – Creio que o povo brasileiro não é masoquista. Podem gritar-lhe que o governo é populista, mas o que conta para o povo é emprego e desaperto no final do mês. Vindo um Fraga dizer que o salário mínimo subiu demais, e mesmo assim, querer ganhar a eleição, é achar que o povo gosta de sofrer.

  2. Essa galera do UJS é massa de manobra dos petistas e cá pra nós, os dirigentes da UJS ganham muito bem para mobilizar essa manezada. rsrsrsrsrsrsrsrsrs

  3. Se o PT não se dignou fazer a reforma política em 12 anos de poder, não é agora que fará!!!

    Este tipo de promessinha idiota já não ilude mais o eleitor, que sabe que esta reforma política tão sonhada, jamais irá acontecer, pelo menos não enquanto a bandidagem estiver mandando.

  4. BELA SACADA
    Boa sacada esta de nossa PresidAnta. Divulga isto num congresso de juvens, marionetes e claro que eles vão acreditar que é sério. Bem, mas nós sabemos que naõ tem como estabelecer regras de participação, afinal, como se daria: um congresso de todas as entidades e eles elegeriam os representantes, que elegeriam uma comissão, que apresentaria as propostas (as nossas, claro) ao parlamento. Enquanto isto, levamos nossa campanha com apoio desta galera manipuláveis.
    Boa, presidente. Por isto que tem nosso voto e nosso apoio. Isto sim é saber fazer política, saber manipular. E deixe que a oposição esperneia, afinal, com os recursos que passaos pra UNE, MST, black block etc, conseguimos manipular direitinho e eles vão propor exatamente o que queremos. Chora, seus manés da oposição. Chora que a vitoria é nossa

  5. …e não falou nada sobre o decreto do aborto? Ah! É prá ficar na surdina?

    • Parreira, o tema é reforma política. E se for aprovada a participação popular na reforma política, e acredito que haverá amplo espaço para a população preservar temas que lhe são caro.

      • A opinião do “Zé Populus” terá igual importância
        à que teve na formulação da Constituição do Dr.
        Ulysses.
        Eram para ser Deputados Constituintes escolhidos
        entre os “Zés” a serem eleitos, e com o fim
        único de elaborar a Constituição.
        Mas, os políticos “profissionais” se outorgaram
        em causa própria, a tarefa de elaborar a Carta
        Magna.
        Aí “convidaram” o “Zé Populus” a participar
        enviando sugestões… nojento…
        Agora vão repetir a história com a reforma
        política, e aquilo que der errado será culpa
        do “Zé”, seja pelas sugestões erradas, ou
        pela sua falta de participação.

    • Parreiras: é contra o aborto por ideologia ou por conveniência eleitoreira a reboque do neoconservadorismo tucano?