16 de junho de 2016
por esmael
15 Comentários

Requião Filho: “Curitiba merece mais do que velhos prefeitos”

Requião_Filho_2016_Prefeitura_de_CuritibaO deputado Requião Filho (PMDB), em sua coluna desta quinta (16), critica as velhas práticas políticas que voltam com a proximidade da disputa pela Prefeitura de Curitiba. Para o colunista, a capital não é um “antiquário”, por isso, ainda segundo ele, “merece mais do que velhos prefeitos”.

O torpedo de Requião Filho, mesmo que não tenha citado ninguém nominalmente, tem endereços certos: o ex-prefeito Rafael Greca (PMN), que esta semana recebeu apoio do ex-prefeito Luciano Ducci (PSB); e o atual prefeito Gustavo Fruet (PDT).

Para Requião Filho, todos que estão na corrida eleitoral já tiveram oportunidade de resolver os problemas na segurança, na saúde e no cuidado dos bairros e das praças, mas nada ou quase nada fizeram em todas essas décadas. “Os Prefeitos antigos estão em débito com a população”, afirma Requião Filho. Abaixo, leia, ouça, comente e compartilhe a íntegra do texto:

30 de setembro de 2015
por esmael
15 Comentários

PCdoB reage à “pulada de cerca” dos deputados Aliel Machado e João Derly

pcdob_aliel_gomydeAs direções estadual e nacional do PCdoB emitiram nota oficial sobre a saída dos deputados Aliel Machado, do Paraná, e o gaúcho João Derly, que migraram para o Rede de Marina Silva.

No último sábado (26), o Blog do Esmael informou em primeira mão a desfiliação do parlamentar pontagrossense.

Para a direção nacional comunista, a atitude dos parlamentares [de afrouxar a tanga] não combina com as ideias de uma política diferente e renovadora, mas sim com práticas de uma velha política.

Aliel e Derly colocaram “interesses personalistas” acima do projeto coletivo partidário, afirma o PCdoB.

21 de Maio de 2015
por esmael
27 Comentários

Coluna do Requião Filho: Pelo fim da velha política, #ForaBetoRicha

requiao_colunaRequião Filho*

Pedido de investigação. Requerimento de informação. Pedir a renúncia de Beto Richa. Cogitar a cassação do governador por crime eleitoral. Todos estes atos do meu mandato têm sido atribuídos a minha pouco idade e a fato de eu ser político de primeira legislatura. Não! Pode ter certeza que não.

Traço o meu caminho político e a minha atuação na Assembleia de acordo com aquilo que acredito. Me dizem que não terei resultados, que o jogo não é assim.

Não me elegi para jogar o jogo da velha política. Me elegi acreditando que era possível mudar as regras desse jogo. Se não for possível mudar as regras, com certeza, não irei segui-las.

1 de outubro de 2014
por esmael
12 Comentários

Comercial do PT acusa Marina de andar com “gente da ditadura”; assista

do Brasil 247
Um novo comercial do PT, que foi ao nesta quarta-feira 1!º, penúltimo dia de propaganda eleitoral gratuita, acusa a candidata Marina Silva (PSB) de andar com “gente da ditadura”. O vídeo de 30 segundos mostra a imagem da presidenciável ao lado de fotos de Jorge Bornhausen e de Heráclito Fortes.

Trata-se de mais um ataque duro contra a adversária da presidente Dilma Rousseff nessa reta final da campanha. No filme, o narrador descreve os políticos, que apoiam a candidatura de Marina, como representantes “dos ruralistas e dos banqueiros. Gente que vem lá do tempo da Arena e da ditadura”. “Se Marina tem alguma coisa de novo, certamente não são as suas companhias”, concluir o texto.

Marina subiu no palanque do candidato ao Senado pelo PSB de Santa Catarina, Paulo Bornhausen, filho de Jorge Bornhausen, e é apoiada por Heráclito, que é candidato a deputado federal pelo Piauí pelo PSB.

Cumprindo agenda na favela de Paraisópolis (SP), Marina rebateu aos ataques do PT na mesma moeda, citando nomes de políticos que apoiam a candidatura de Dilma, como José Sarney, Fernando Collor e Renan Calheiros, e dizendo que eles contradizem a história da presidente, que deveria ser honrada por ela.

“As companhias que a presidente tem, do Collor, do Sarney, do Maluf, do Renan Calheiros, do Jader Barbalho e tantos outros com certeza, essa sim, é a verdadeira contradição, a contradição mais profunda na trajetória das pessoas que deviam estar honrando a sua trajetória”, criticou.

Ao citar “companhias” de Dilma que também fizeram parte da Arena e são ligadas à  ditadura, a candidata admite, de certa forma, que, como os outros candidatos, se relaciona com a “velha política”.

Assista ao programa abaixo: