Presidente do Haiti é assassinado a tiros, segundo primeiro-ministro

Na madrugada de quarta-feira (7), o primeiro-ministro interino do Haiti, Claude Joseph, informou que o presidente do país Jovenel Moïse foi assassinado à noite em sua casa por um grupo de indivíduos não identificados.

Foi comunicado que um grupo de pessoas não identificadas atacaram a residência privada do presidente do Haiti, que foi baleado mortalmente. A primeira-dama também foi ferida, tendo sido internada.

“Cerca da 01h00 [02h00 em Brasília] da noite de terça (6) para quarta-feira (7), um grupo de indivíduos não identificados, alguns dos quais falavam espanhol, atacaram a residência privada do presidente da República e feriram mortalmente o chefe de Estado. Ferida por uma bala, a primeira-dama está sendo tratada”, de acordo com o comunicado.

Assassinaram o presidente do Haiti, Jovenel Moïse. No grupo de atacantes, alguns falavam espanhol.

LEIA TAMBÉM
Ao vivo: A CPI hoje ouve ex-diretor do Ministério da Saúde acusado de pedir propina

Deputado bolsonarista propõe projeto contra “comunismo” no Paraná [vídeo]

Lula também vence na Ipsos; Sergio Moro volta a ser a ‘arma secreta’ da velha mídia para 2022

O primeiro-ministro condenou o ataque “hediondo, desumano e bárbaro” e apelou à calma.

“A situação de segurança no país está sob o controle da Polícia Nacional Haitiana e das Forças Armadas Haitianas. Todas as medidas estão sendo tomadas para garantir a continuidade do Estado e para proteger a Nação”, conforme o comunicado divulgado.

Jovenel Moïse, de 53 anos, era o 42º presidente do Haiti. Ele tinha tomado posse em 2017. Anteriormente, tinham sido impedidas várias tentativas de ataques ao presidente. A última foi em fevereiro deste ano, quando as forças de segurança do país impediram uma tentativa de golpe de Estado e assassínio do presidente.

As informações são da Agência Sputnik