Nunca Bolsonaro deu tanto dinheiro para Globo quanto nas vésperas da eleição

Bolsonaro e Globo, tudo a ver.

Quem conta essa é o portal UOL, do Grupo Folha.

Segundo reportagem, o presidente cessante Jair Bolsonaro (PL) aumentou em 75% as verbas publicitárias da Globo enquanto ele fingia odiar a emissora carioca – e açulava seus seguidores com palavras de ordem como “Globo Lixo”.

O mandatário aumentou em 75% o gasto com publicidade na emissora de janeiro a junho deste ano, em comparação com o mesmo período de 2021.

Bolsonaro é unha e carne com a Globo, que só lhe critica no supérfluo.

Na questão econômica, a emissora dos Marinho blinda não só Bolsonaro.

O sinistro da Economia, Paulo Guedes, corresponsável pela volta da fome e da miséria no País, também é poupado pelo “jornalismo profissional” da TV Globo e demais jornalões da velha mídia corporativa.

A farra publicitária é replicada nos estados.

Nas TVs abertas, indepentemente da emissora, dá a impressão de que a a legislação eleitoral não proibiu a propaganda institucional dos governos desde o último sábado (02/07).

Para burlar a norma do TSE, as televisões veiculam propaganda institucional disfarçada de reportagem.

O tribunal finge que não vê a infração e as emissoras fingem que respeitam a lei.

Um show de hipocrisia.

Um horror.

O UOL levantou que de 1º de janeiro a 21 de junho do ano passado, a Globo recebeu R$ 6,5 milhões em valores líquidos pagos por materiais publicitários de televisão veiculados em âmbito nacional e regional.

Os dados são da Secom (Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência).

Para o UOL/Folha, há um motivo para essa farra publicitária do governo federal de 75% a mais em 2022: a tentativa de reeleição de Bolsonaro.

Bolsonaro e “Globo Lixo”, tudo a ver.