Filme ‘Marighella’ de Wagner Moura vira série da Rede Globo em 2020


O filme “Marighella”, que conta a história do guerrilheiro e militante contra a ditadura militar brasileira, Carlos Marighella, vai virar série em quatro episódios na Rede Globo em 2020. Wagner Moura, 43, dirigiu o longa que é estrelado por Seu Jorge, Adriana Esteves e Humberto Carrão.

Marcada para 20 de novembro, quando se comemora o dia da Consciência Negra, a estreia de “Marighella”, cinebiografia do guerrilheiro comunista dirigida por Wagner Moura, foi cancelada por seus produtores. A produção do filme afirma que “a O2 Filmes não conseguiu cumprir a tempo todos os trâmites exigidos pela Agência Nacional do Cinema (Ancine)”.

Moura afirmou que o Brasil está “completamente polarizado”, e que seu filme sobre o militante de esquerda, Carlos Marighella, provavelmente será recebido com protestos pela parcela da população que apoia o atual governo de Jair Bolsonaro.

O Brasil “está completamente dividido, polarizado, de uma maneira muito estúpida”, disse em uma entrevista coletiva durante o festival internacional de cinema de Santiago, onde seu filme “Marighella” foi exibido pela primeira vez na América Latina, em agosto deste ano.

LEIA TAMBÉM:

Evo Morales denuncia: “O golpe vem dos EUA”

“Creio que haverá um cinturão de amor ao redor do filme por parte das pessoas que querem vê-lo agora, neste momento do país, mas a coisa está tão feia que é possível que haja gente nas salas gritando ou impedindo sua projeção”, acrescentou.

Inspirado na biografia escrita pelo jornalista Mário Magalhães, a trama de R$ 10 milhões acompanha os últimos cinco anos de vida do protagonista. O enredo tem início com as consequências imediatas do golpe militar, em 1964, e prossegue até o assassinato do guerrilheiro, em 1969, numa operação da polícia que é um dos marcos do fim da guerrilha urbana durante a ditadura.

Veja também  Ratinho Junior vende 'terreno na Lua' para partidos, dizem líderes