Correios e Telebras terão prioridade nas contratações do poder público, diz lei sancionada por Alckmin

O presidente da República em exercício, Geraldo Alckmin (PSB), sancionou legislação, aprovada pelo Senado Federal e a Câmara dos Deputados, que estabelece a contratação preferencial dos Correios e da Telebras, entidades vinculadas ao Ministério das Comunicações (MCom), por órgãos públicos federais. 

“Esta medida assegura a eficiência, qualidade e confiabilidade na prestação de serviços essenciais à população e o desenvolvendo o setor público brasileiro”, celebrou o ministro das Comunicações, Juscelino Filho.

Ele também lembrou que o fortalecimento dos Correios e Telebras é uma determinação do presidente Lula, que já no dia 2 de janeiro solicitou a retirada das entidades do Programa Nacional de Desestatização (PND).

>>Visita de Alckmin pode vitaminar Ducci à Prefeitura de Curitiba, avaliam aliados do socialista

De acordo com a Lei, caberá ao Poder Executivo editará regulamento para disciplinar as regras e as condições de prestação de serviços postais e de comunicação multimídia, definida pelo projeto como serviço fixo de telecomunicações de interesse coletivo, prestado em âmbito nacional, que possibilita a oferta de capacidade de transmissão, emissão e recepção de informações multimídia, inclusive o provimento de conexão à internet.

Economia

O Novo PAC irá destinar R$ 856 milhões para a modernização do parque logístico nacional dos Correios.

“A Lei é mais um passo no reforçando o papel fundamental que a empresa exerce na oferta de cidadania. Com investimento e muito trabalho, vamos resgatar o seu papel social e melhorar a qualidade dos serviços prestados”, afirmou Juscelino.

Nesse sentido, foi assinada ordem de serviço para o início da construção do novo Complexo Operacional dos Correios em São Luís (MA).

Com investimento inicial de R$ 56,5 milhões, o Complexo será um dos maiores e mais modernos da região Norte/Nordeste.

>>Lula espera que Macron abra seu coração para o Mercosul

Por sua vez, a Telebras possui mais de 20 mil pontos de conectividade instalados em todo Brasil, beneficiando quase 3 mil municípios.

São unidades de saúde e segurança pública, comunidades indígenas e quilombolas, assentamentos rurais, centros de assistência social, e mais de 14 mil escolas públicas, que estão conectadas por meio da tecnologia do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC).

A internet banda larga via satélite também auxilia em ações humanitárias.

Somente este ano, foram distribuídas 45 antenas de internet para regiões atingidas pelas fortes chuvas, como municípios do Maranhão (MA) e do Rio Grande do Sul (RS); além de situações de saúde pública como ocorrido no Território Indígena Yanomami (RO) e no município de São Sebastião (SP).

Dentre as demais ações previstas para 2024, está a Rede Privativa de Comunicação da Administração Pública Federal.

O conjunto de redes com alta segurança é uma obrigação proveniente do Edital 5G e a sua construção está a cargo da Entidade Administradora da Faixa de 3,5 GHz (EAF).

Será composta por uma Rede Móvel e uma Rede Fixa.