General Joaquim Silva e Luna, presidente da Petrobras, fugiu de manifestação no Paraná

General Joaquim Silva e Luna, presidente da Petrobras, fugiu de manifestação no Paraná

O general Joaquim Silva e Luna, presidente da Petrobras, fugiu de uma manifestação contra os preços abusivos dos combustíveis no Paraná.

O ex-diretor-geral brasileiro da Itaipu Binacional e atual presidente da estatal de petróleo iria à capital paranaense para receber o título de Cidadão Honorário do Paraná.

No entanto, o militar fugiu do evento como o diabo foge da cruz ao saber que manifestantes lhe fariam a entrega do título de patrono da gasolina mais cara do mundo.

Silva e Luna deu a desculpa de que fora chamado para uma reunião, marcada de última hora, em Brasília, om o presidente Jair Bolsonaro e com o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque. No entanto, a agenda do presidente da Petrobras traz a seguinte informação: “Sem compromissos oficiais“.

Já a agenda do presidente Jair Bolsonaro, no Palácio do Planalto, também não registro de encontro com o general Silva e Lula.

Quanto ao título de patrono da gasolina mais cara do mundo, ele cai muito bem para presidente da petrolífera. Em Curitiba, já tem gasolina sendo vendida por R$ 9 reais o litro; o gás de cozinha a R$ 135.

A sessão solene estava prevista para acontecer na Assembleia Legislativa do Paraná (ALEP).

Por óbvio, também foi cancelado o escracho que o Sindicato dos Petroleiros do Paraná e Santa Catarina (Sindipetro) tinha preparado na tarde de hoje.

Leia também

Efeito Bolsonaro: preço dos combustíveis obriga 62,5% a diminuir uso de carros e motos, diz pesquisa

Dólar em alta bate R$ 5,60; Paulo Guedes reage: ‘aha, uhu, o BC é nosso!’

Deu no New York Times: ‘Bomba, Bolsonaro é acusado de homicídio’