Para Sindicato do IBGE, o ministro da Economia é um ignorante com saudades da ditadura de Pinochet [Chile].

Paulo Guedes quer matar o mensageiro ao dizer que IBGE está na idade da pedra lascada

  • Para Sindicato do IBGE, o ministro da Economia é um ignorante com saudades da ditadura de Pinochet [Chile]

Paulo Guedes, o ministro dos bancos, quer matar o mensageiro ao dizer que IBGE está na idade da pedra lascada. Segundo ele, que responde pela Economia, a metodologia do e pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) está na idade da pedra lascada. A declaração ocorreu nesta sexta-feira (30/7) no contexto da divulgação, pelo órgão, da taxa de desemprego de 14,6% no trimestre encerrado em maio.

Magoado com os números, Guedes mentiu descaradamente que o país está gerando empregos. “Estamos gerando praticamente 1 milhão de empregos a cada três meses e meio”, disse em evento no Rio de Janeiro. “Vamos ter que rever, acelerar os procedimentos do IBGE, porque o IBGE ainda está na idade da pedra lascada”, criticou em conversa com jornalistas na sede do Ministério da Economia na capital fluminense.

Apesar do evidente crescimento do desemprego, Guedes insiste em espalhar notícias falsas com o intuito de enganar a sociedade. “Desde o início do ano, já criamos 1,5 milhão de empregos. Desde a pandemia, que cortou 1 milhão de empregos, já criamos 2,5 milhões”, mentiu mais uma vez.

A presidenta nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PT-PR) chamou o ministro de “cara de pau” por mentir igual ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

“Guedes corta 96% da verba do IBGE, sucateia o serviço público, faz o país bater recorde de desemprego e vem falar que o instituto está na idade da pedra lascada? É muita cara de pau, mente igual o chefe. Esse governo todo é doentio”, manifestou-se a dirigente petista.

Na prática, o “sinistro” ameaçou a existência do IBGE, órgão da administração federal brasileira instalado em 1936, ou seja, há 85 anos.

Em nota, o sindicato dos trabalhadores do IBGE afirmou que o negacionismo de Guedes revela ignorância estatística e representa o delírio governamental e sua vontade de regressar ao mundo sem informações.

Para a entidade sindical, as saudades do governo Pinochet, no qual Paulo Guedes atuou, parecem lhe perturbar a alma.

“Demonstrações públicas de ignorância e inépcia por parte de um ministro de economia são bastante preocupantes. No caso de Paulo Guedes, porém, elas já não causam mais surpresa. Este sujeito que, apresentado como o coração do governo, nesta quadra já se revela como um mero protozoário da cena política, ou, talvez, um vírus”, diz um trecho da nota dos trabalhadores no IBGE.

Leia também

Leia a íntegra da nota do ASSIBGE:

Negacionismo de Guedes revela ignorância estatística

ASSIBGE Sindicato Nacional em resposta ao delírio governamental e sua vontade de regressar ao mundo sem informações

No dia seguinte à malsucedida live de Bolsonaro, na qual o presidente buscou desacreditar o processo eleitoral, Paulo Guedes mimetiza o chefe, e com argumentos de espantosa fragilidade, ataca o IBGE.

Sob o argumento de que a instituição – vinculada ao Ministério da Economia – está na era da pedra lascada, não esconde seu desejo candente de restabelecer um tempo no qual os dados podiam ser escondidos. As saudades do governo Pinochet, no qual atuou, parecem lhe perturbar a alma.

Demonstrações públicas de ignorância e inépcia por parte de um ministro de economia são bastante preocupantes. No caso de Paulo Guedes, porém, elas já não causam mais surpresa. Este sujeito que, apresentado como o coração do governo, nesta quadra já se revela como um mero protozoário da cena política, ou, talvez, um vírus.

O CAGED (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), é voltado para o controle de admissões e demissões de empregados do regime celetista, pelo que não contempla a totalidade do mercado de trabalho ao não tratar dos informais, os trabalhadores por conta própria e os servidores públicos. Cabe lembrar também que o CAGED passou por mudanças metodológicas e operacionais implementadas de forma atabalhoada (como seria de se esperar da atual gestão), provocando descontinuidade nos dados coletados.

Os dados de desocupação do IBGE, por outro lado, buscam retratar todo o conjunto do mercado de trabalho. A confusão propagada por Guedes, vinda, portanto, por uma figura da alta hierarquia da área econômica do governo, são reveladoras ou de indigência política, ou intelectual.

O IBGE é reconhecido pela excelência do quadro de servidores e goza da confiança do povo brasileiro. Resistirá aos ataques promovidos por esta caquistocracia que há de sucumbir aos bons ventos da democracia.