Moro adota doutrina ‘uma mão lava a outra’ em relação a Fachin

O ex-juiz Sergio Moro confirmou pelo Twitter nesta sexta-feira (12/3) que adotou a doutrina segunda qual ‘uma mão lava a outra’ ao defender o ministro do STF Edson Fachin de ataques extremistas.

Fachin virou alvo de lavajatistas e da extrema direita depois que anulou todas as condenações do ex-presidente Lula na Lava Jato e deixou o petista elegível para 2022.

Na quarta-feira (10/3), à noite, o ministro do Supremo Tribunal Federal sofreu protesto no bairro que mora em Curitiba.

Os fundamentalistas não foram avisados de que a medida tacitamente também salvava o ex-juiz Moro. A decisão de Fachin, em tese, levaria à perda do objeto a suspeição na Segunda Turma, cujo julgamento foi suspenso devido pedido de vista de Nunes Marques.

“Repudio ofensas e ataques pessoais ao Ministro Edson Fachin do STF, magistrado técnico e com atuação destacada na Operação Lava Jato”, defendeu Moro.

O ex-juiz da Lava Jato ainda completou: “Qualquer discordância quanto à decisão deve ser objeto de recurso, não de perseguição.”

Em Curitiba, onde moram Fachin e Moro, há um ditado de que uma mão lava a outra e duas lavam a bunda.

Quanto à violência, o Blog do Esmael também repudia o extremismo disfarçado de militância política e de liberdade de expressão.