Trump apresenta nesta sexta-feira defesa contra o impeachment; votação final pode ocorrer neste sábado

Os advogados que representam o ex-presidente Donald Trump apresentarão a defesa nesta sexta-feira. Uma votação final do impeachment pode acontecer no Senado ainda amanhã (sábado, dia 13).

Os advogados do ex-presidente Donald Trump terão sua primeira chance na sexta-feira (12/02) para se opor à afirmação que os administradores de impeachment da Câmara dos Democratas tentaram estabelecer esta semana: que o republicano foi pessoalmente responsável por incitar a multidão que invadiu o Congresso em 6 de janeiro.

Enquanto os promotores da Câmara encerravam seus argumentos na quinta-feira, os advogados de Trump não deram nenhuma indicação de que planejavam chamar testemunhas, como fizeram no ano passado no primeiro julgamento o ex-presidente no Senado. Em vez disso, expressaram confiança de que haviam provado seu caso.

Os advogados de Trump também mostraram pouco interesse em prolongar o processo. Um deles, David I. Schoen, disse na quinta-feira que espera que sua equipe use apenas três ou quatro horas para montar a defesa hoje.

O Senado dos EUA se reunirá novamente ao meio-dia (14 horas, horário de Brasília).

Como será a defesa de Trump?

Desde o início, os advogados de Trump argumentaram que o impeachment de um ex-presidente é impróprio e inconstitucional, e vários senadores republicanos proeminentes seguiram essa posição. Esse argumento pode continuar a ser a pedra angular do caso da equipe de defesa nesta sexta-feira.

Os advogados de Trump também podem tentar argumentar que o ex-presidente nunca esteve no controle das ações de seus apoiadores e que suas expressões de frustração com a eleição não foram apelos à violência, mas opiniões protegidas como liberdade de expressão pela Constituição.

Antecipando essa defesa, os promotores da Câmara procuraram se antecipar a essa linha de raciocínio na quinta-feira.

“Absolutamente ninguém na América estaria protegido pela Primeira Emenda se fizesse todas as coisas que Donald Trump fez”, disse o deputado Jamie Raskin, principal gerente de impeachment da Câmara.

Os advogados de Trump até agora evitaram repetir ou defender as alegações mais bizarras de Trump sobre fraude eleitoral generalizada, e não se espera que façam parte de seus argumentos.

Qual é o clima entre os senadores?

Se os advogados de Trump concluírem sua apresentação rapidamente, os senadores, que atuam como jurados no caso, podem ter tempo hoje ainda para começar a questionar cada lado. As regras do julgamento permitem quatro horas para os senadores fazerem isso.

Vários senadores republicanos reiteraram as preocupações na quinta-feira sobre a constitucionalidade do julgamento e o precedente que o impeachment de um ex-presidente pode abrir. Muitos disseram que esperavam ver o interrogatório encerrado na noite desta sexta-feira.

Uma votação final para condenar ou absolver Trump pode ocorrer já neste sábado, permitindo que os senadores evitem uma sessão de domingo que foi aprovada nas regras do julgamento estabelecidas esta semana.

Impeachment para não acontecer de novo

Os deputados democratas pediram a aprovação do impeachment para que atos de violência, como a invasão do Congresso, não se repitam nos Estados Unidos.

“Pedimos humildemente que condenem o presidente Trump por um crime do qual ele é totalmente culpado”, afirmou Joe Neguse, um dos promotores.

“Porque se não o fizerem, se fingirmos que isso não aconteceu, ou pior ainda, se deixarmos sem resposta, quem pode garantir que não vai acontecer de novo?”, concluiu.