Em nota, deputados do PT se solidarizam com Dilma e repudiam declarações de Bolsonaro sobre tortura

A bancada do PT na Câmara dos Deputados divulgou uma nota nesta terça-feira (29) na qual manifesta solidariedade a ex-presidente Dilma Rousseff e “repudia de forma veemente as declarações torpes e vis” do presidente Jair Bolsonaro sobre tortura.

“É inaceitável um presidente da República debochar de alguém que sofreu tortura, um crime contra a humanidade. A atitude do capitão-presidente não condiz com a democracia e nem com o principal cargo da República. Revelou ser um insano amante das trevas e dos abjetos torturadores dos anos de chumbo que mancharam a história do Brasil entre 1964 e 1985”, diz um trecho da nota.

Leia a íntegra da nota:

A Bancada do PT na Câmara repudia de forma veemente as declarações torpes e vis do presidente Jair Bolsonaro a respeito da tortura sofrida pela ex-presidenta Dilma Rousseff durante a ditadura militar. A Bancada se solidariza com a companheira e ex-presidenta, uma mulher de coragem e comprometida com a democracia, os valores civilizatórios e a dignidade humana.

É inaceitável um presidente da República debochar de alguém que sofreu tortura, um crime contra a humanidade. A atitude do capitão-presidente não condiz com a democracia e nem com o principal cargo da República. Revelou ser um insano amante das trevas e dos abjetos torturadores dos anos de chumbo que mancharam a história do Brasil entre 1964 e 1985.

Merece o repúdio de toda a população um presidente que cultua a morte, como mostra sua postura insensível diante de mais de 200 mil brasileiros levados pela Covid-19, graças à inoperância do governo para combater a pandemia.

Não à violência. Viva a democracia e os direitos humanos! Tortura nunca mais!

Brasilia, 29 de dezembro de 2020

Enio Verri (PT-PR), líder do Partido dos Trabalhadores na Câmara dos Deputados.