Bolsonaro costeia alambrado de Biden ao cogitar Temer no Ministério das Relações Exteriores

Compartilhe agora

O presidente Jair Bolsonaro percebeu que a vaca de Donald Trump foi para o brejo, ou seja, a reeleição do presidente americano, por isso o capitão já começou a costear o alambrado do democrata Joe Biden.

Para agradar o novo inquilino da Casa Branca, Bolsonaro pensa nomear o ex-presidente Michel Temer (MDB) para o ministério das Relações Exteriores, no lugar de Ernesto Araújo –um fundamentalista, terraplanista e negacionista.

Temer chefiou em agosto passado uma “missão humanitária” para o Líbano. Pelo jeito, o ex-presidente gostou da brincadeira.

Para compensar a ala “olavista” no governo, Araújo poderá assumir o Ministério da Educação (MEC), hoje ocupado pelo desconhecido pastor Milton Ribeiro.

Temer pode realizar o sonho de encontrar-se com Biden

Em dezembro de 2015, numa carta à então presidenta Dilma Rousseff (PT), Temer reclamou que petista se reuniu com Biden sem a presença dele.

“Recordo, ainda, que a senhora, na posse, manteve reunião de duas horas com o Vice Presidente Joe Biden – com quem construí boa amizade – sem convidar-me o que gerou em seus assessores a pergunta: o que é que houve que numa reunião com o Vice Presidente dos Estados Unidos, o do Brasil não se faz presente?”, desabafou.

Caso realmente assuma o Itamaraty, sede do Ministério das Relações Exteriores, Michel Temer terá várias oportunidades de encontro com Joe Biden nos fóruns internacionais.

Supremo suspende alíquota zero para importação de revólveres e pistolas

Lava Jato tem derrota confirmada pelo Supremo Tribunal Federal

É a economia, estúpido!

Presidenta Dilma faz 73 anos e redes sociais pedem ‘Volta Dilma’