A notícia boa de 2020 é que Bolsonaro não cumpriu suas promessas de campanha

Compartilhe agora

A esquerda é induzida ao erro quando aplaude equivocadamente a velha mídia, que critica o presidente Jair Bolsonaro pelo não cumprimento de suas propostas nos dois primeiros anos de governo. Bendito seja esse descumprimento!

Dentre as propostas que Bolsonaro não cumpriu nessa metade de gestão estão:

  • Liberalização do comércio de armas de fogo entre os brasileiros;
  • Reforma administrativa e demissão de servidores públicos;
  • Superávit primário em 2020 (interesse dos rentistas e bancos);
  • Carteira de trabalho verde e amarela (ferra os trabalhadores de verde e amarelo);
  • Desonerar folha de pagamento (beneficia os patrões e detona o orçamento público)
  • Capitalização na Previdência (interesse dos bancos);
  • Acabar com unicidade sindical (quebrar a espinhal dorsal da resistência ao neoliberalismo);
  • Vender todos ativos da Petrobras (está fazendo picado e interessa aos especuladores);
  • Independência formal do Banco Central (interessa aos bancos);
  • Destinar dinheiro de privatizações para pagamento da dívida pública (interessa aos bancos e à mídia corporativa);
  • Transferir embaixada do Brasil em Israel para Jerusalém (burrice porque não interessa briga com o mundo árabe);
  • Acabar com a progressão de penas (a Constituição Federal garante direitos humanos fundamentais); e
  • Retirar da Constituição qualquer relativização da propriedade privada (tem que cumprir a função social).

Como se vê, a parte boa do governo Jair Bolsonaro é justamente o DESCUMPRIMENTO das propostas de campanha. Não o contrário, como faz crer a velha mídia corporativa.

Bolsonaro fez promessas específicas em um programa de governo registrado no TSE, em entrevistas e debates.