Benedita é retirada da lista de Personalidades Negras da Fundação Palmares

A deputada federal Benedita da Silva, candidata do PT à Prefeitura do Rio de Janeiro, teve o nome retirado da lista de Personalidades Negras da Fundação Cultural Palmares.

Pelo Twitter, o presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo, afirmou que a exclusão de Benedita foi feita por que ela responde a um processo por improbidade administrativa e teve os bens bloqueados.

“O preto, o pobre e o favelado são as maiores vítimas da corrupção”, escreveu Camargo.

Em um vídeo publicado em suas redes sociais, Benedita classificou a decisão do presidente da entidade de “arbitrária” e o chamou de “capitão do mato” do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

“Hoje ainda fui surpreendida por uma decisão arbitrária do Capitão do Mato que preside, a mando de Bolsonaro, a Fundação Palmares, que deveria preservar a memória e a cultura do povo negro mas está fazendo o contrário. Depois de excluir Mandela, Zumbi dos Palmares da lista de personalidades negras ele retirou meu nome desta galeria. O que ele fez é ilegal, é abuso de poder”, disse a deputada petista, acrescentando que entrará na Justiça contra as agressões racistas que vem sofrendo nas redes sociais.

Benedita é acusada pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) de improbidade administrativa por dispensar licitação e gerar “grave prejuízo” ao patrimônio público estadual quando ocupou a secretaria estadual de Assistência Social e Direitos Humanos na gestão do governador Sergio Cabral. Em 2015, a 6ª Vara da Fazenda Pública do Rio determinou o bloqueio de bens e quebra de sigilo bancário da deputada com o objetivo de recuperar os supostos danos causados ao erário.

LEIA TAMBÉM
Pesquisa: Boulos e França lutam pelo 2° lugar e Rumanno e Covas se engalfinham pelo 1º

Bolsonaro desviou R$ 7,5 mi doados para testes da Covid-19 para programa da primeira-dama

Guedes e Bolsonaro transformam o Real na pior moeda do mundo. Parabéns!

Figura polêmica, Camargo nega a existência de racismo no Brasil. Ele já chegou a afirmar em suas redes sociais que a escravidão foi “benéfica para os descendentes” e que o movimento negro precisa ser “extinto”.

A Fundação Cultural Palmares é uma entidade vinculada ao Ministério da Cidadania responsável pela memória e pela promoção da cultura afro-brasileira no País.

Compartilhe agora