Será Marcelo Bretas o indicado ‘terrivelmente evangélico’ de Bolsonaro ao STF?

Informações de bastidores do Senado e do Planalto indicam que é grande a articulação para que o juiz lavajatista Marcelo Bretas, do Rio de Janeiro, seja o indicado de Bolsonaro para o Supremo Tribunal Federal.

A aposentadoria de Celso de Mello está marcada para o dia 13 de outubro; ou seja, dentro de duas semanas. O ex-preferido juiz Sérgio Moro está fora do páreo, logicamente. O Procurador-geral da República, Augusto Aras ainda está no cargo, o que dificultaria a transição. Sobra Bretas.

Bretas já foi condenado com censura pelo TRF-2 por participar de eventos ao lado do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e do prefeito Marcelo Crivella (Republicanos).

Na verdade, esse informação não é nova.

Foi a Carta Capital que levantou a lebre ainda em junho: desde que Bolsonaro afirmou que poderia indicar um ministro evangélico para o STF, o juiz Marcelo Bretas da Lava Jato do Rio vem postando frases bíblicas em suas redes.

Bretas tenta se mostrar o candidato perfeito ao cargo. Em seu Twitter, o magistrado só tem feito posts com dizeres religiosos e passagens da bíblia.

Com informações da CNN e Carta Capital.

LEIA TAMBÉM
Reforma tributária: Vem aí congelamento de aposentadorias e imposto sobre as transações e pagamentos eletrônicos

Bolsonaro aciona PF contra Boulos por críticas nas redes sociais

PT vai STF contra omissão do governo Bolsonaro no combate às queimadas no Pantanal e na Amazônia

Lula vence no TSE

Compartilhe agora