Corte Especial do STJ mantém Wilson Witzel afastado do cargo de governador

A Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça decidiu manter o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC-RJ), afastado do cargo por suspeitas de corrupção.

Por 12 votos a dois, os ministros decidiram manter decisão do relator, Benedito Gonçalves, que afastou Witzel do cargo. Ele é suspeito de irregularidades e desvios em recursos da saúde do Rio de Janeiro.

A Corte Especial do STJ é formada pelos 15 ministros mais antigos do STJ. As decisões exigem quórum qualificado de dois terços.

O governador afastado comentou a decisão pelo Twitter:

“Respeito a decisão do Superior Tribunal de Justiça. Compreendo a conduta dos magistrados diante da gravidade dos fatos apresentados. Mas, reafirmo que jamais cometi atos ilícitos.”

Witzel ainda desejou ao se vice, Cláudio Castro, “serenidade para conduzir os trabalhos que iniciamos juntos e que possibilitaram devolver ao povo fluminense a segurança nas ruas e, com isso, a esperança em um futuro melhor. “

Além do afastamento do governador, o STJ expediu 17 mandados de prisão, sendo 6 preventivas e 11 temporárias, e 83 de busca e apreensão. A Procuradoria Geral da República denunciou nove pessoas.

O ministro Benedito Gonçalves também determinou buscas contra a primeira-dama, a advogada Helena Witzel, que tem contratos com empresas envolvidas no esquema de desvio de recursos.

Se por um lado, as denúncias são estarrecedoras, o afastamento de Witzel é uma vitória do Clã Bolsonaro, em particular do senador Flávio Bolsonaro, que fica mais tranquilo com as investigações sobre as “rachadinhas” na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro.

Com informações do G1.

LEIA TAMBÉM